Translate...

7 de janeiro de 2015

Rear-facing...

Confesso que não percebia nada de cadeiras-auto, ovos ou afins... No nosso curso de preparação para o parto tivemos uma técnica de saúde ambiental que nos alertou para o facto de ser mais seguro as crianças viajarem no no sentido contrário à marcha. Mas a senhora disse mesmo o quê? Ora agora vou por o puto virado para trás para não o ver? Como que raio é que isso pode ser melhor?

Tendo em conta o que se vê na grande maioria dos carros em Portugal, os bebés depois de saírem do ovo passam a andar logo no sentido da marcha. O meu Bruno já estava a par destas informações, mas eu tive que ir investigar...Pois é mesmo verdade, e a grande maioria das pessoas anda enganada e a proceder erradamente... Talvez por falta de informação ou conhecimento, ou até mesmo pela falha na lei que o permite. Contudo, no ano passado saiu uma nova alteração à legislação referente ao transporte de crianças no automóvel, exigindo que a partir de então os bebés até aos 15 meses sejam transportados no sentido contrário à marcha, ou seja, de costas voltadas para a estrada.

Depois de investigar a fundo (o vídeo é assustador...), verifiquei que várias organizações e estudos aconselham as crianças até aos 4 anos (apenas com aproximadamente 4 anos de idade, a relação entre o tamanho da cabeça e o resto do corpo se equilibra. Nesta fase, os músculos do pescoço desenvolvem-se o suficiente para suportar mais pressão e forças exteriores) a viajar sentadas na cadeira no sentido inverso ao da marcha, incluindo a Direcção-Geral da Saúde (segundo Orientação n.º 001/2010, de 16 de Setembro de 2010).
"Viajar com uma criança no sentido inverso à marcha reduz a probabilidade de lesões e ferimentos em caso de acidente, melhorando consideravelmente a segurança da criança."
in A Segurança responsável - ACP

  • No sistema de retenção para crianças orientado no sentido da marcha, a cabeça da criança desloca-se para a frente submetendo o pescoço a forças extremas.
Credits barrigas de amor
  • No impacto frontal com a cadeira no sentido contrário à marcha todas as zonas críticas ficam melhor protegidas. Todas as forças geradas no impacto distribuem-se de forma mais homogénea nas costas, cabeça e pescoço.
Credits barrigas de amor
Claro que depois existe uma série de perguntas que se podem colocar sobre o bem estar da criança, mas a verdade verdadinha é que na maioria dos casos é a NÓS que nos faz confusão, e não a elas... Senão vejamos (in movimento viagem segura). 

1. E as pernas da criança? 
As pernas não são o elemento principal a proteger, não existe problema de viajar com as pernas um pouco mais encolhidas...No entanto, viajar no sentido inverso ao da marcha, permite proteger o pescoço da criança, permitindo uma maior segurança... Entre uma perna partida ou uma lesão grave na coluna... qual é que é mais grave? 
2. E como é que eu faço caso a criança esteja a sufocar?? 
O mesmo que faria se a criança viajasse voltada para o sentido da marcha: parava o carro e socorria-a... Hoje, no mercado existem uma série de acessórios que permitem ao condutor avistar a criança que viaja no banco traseiro, no sentido inverso ao da marcha... Nós compramos um espelho e é giro ver que ele já sabe e também nos vê através dele.
3. E como é que o "convenço" a viajar de costas até tão tarde? 
As crianças tendem a fazer o que foram educadas a fazer... Se os pais ensinarem aos filhos as regras de segurança, elas terão todo o prazer em fazer isso mesmo... Podemos sempre criar um ambiente agradável para que a criança goste de viajar na sua cadeira! 

Nós ficamos mais que convencidos, e assim sendo, a verdadeira prenda de Natal do Sebastião foi a cadeirinha nova. Estivemos indecisos entre a Cybex Sirona e a Britax Dualfix, mas depois de as ver ao vivo a Britax Dualfix acabou por nos convencer. Com a rotação 360 graus é uma maravilha por o miúdo lá dentro sem dar cabo das costas, permitindo ainda alternar da posição traseira para a dianteira. Inclui todas as características de segurança, tal como Isofix e um cinto de segurança de 5 pontos. Serve até aos 4 anos e/ou até aos 18 kg.

Credits Britax

Sem comentários: