Translate...

24 de dezembro de 2011

GELUKKIG KERSTFEEST

Ora... com mais ou menos prendas, com bacalhau ou com perú (ou arroz de polvo...) faço votos de um Santo e Feliz Natal!


1 de dezembro de 2011

One Year....

Faz hoje exactamente um ano que o meu homem começou a trabalhar por aqui... E à exactamente um ano estava um frio do caraças... Ora, se está frio agora... ESTÁ... Mas à um ano estava bem mais. Lembro-me dum nevão do caraças e dum ar que releva as narinas e os pulmões... Ora que de uns -6ºC passamos para uns 10ºC... (ainda me vou arrepender e em Dezembro e Janeiro vai estar um frio do caraças...)

28 de novembro de 2011

IKEA...

Depois de um curso intensivo IKEA, que é como quem diz mobilar uma casa em 4 meses, posso-me considerar uma expert em porcas & parafusos... A verdade é que nem tudo é sempre tão simples nem tão fácil como esses senhores suecos querem fazer parecer... Nem sempre existem os buracos que deviam existir pra os parafusos, nem sempre os artigos vêm em condições e muito menos nem sempre esses mesmos artigos vêm com todas as peças que permitem efectuar a sua montagem. Pois que nem tudo é mau e eu continuo grande fã, e apesar de que cada vez que vamos ao IKEA ouvir do marido - Tou farto de vir aqui... - existem algumas curiosidades que trazem uns quantos pontos a favor da marca que merecem ser relatadas. Numa das nossas ultimas compras, a peça não trazia os parafusos principais. Ao consultar o site, a informação é que o devíamos pedir na loja ou telefonicamente. Pois que o holandês está longe de ser o nosso forte, lá nos deslocamos à loja. E surprise, surprise (sem confundir com qualquer programa televisivo da época de 90...) como não tinham as peças em stock enviavam para casa, sem qualquer custo, entre 3 a 5 dias. Eu desconfiei... mas não é que veio mesmo?!?!?!?! Achei o envelope o máximo....

22 de novembro de 2011

Like Popey...

Credits
ESPINAFRE  (Do persa aspanâh, pelo árabe hispânico isbinâkh, «espinafre»)
nome masculino
1. BOTÂNICA planta herbácea, da família das Quenopodiáceas, que inclui as de uma espécie cultivada em Portugal, com folhas grossas e verde escuras, muito utilizada em culinária...

Esta foi uma das entradas que fez sucesso na nossa Housewarm Party. Na verdade nunca a tinha feito, e só a tinha comido uma vez em casa da Taty, mas fiquei maravilhada... Como a vi fazer, fiz umas pesquisas (as minhas receitas e feitiço da cozinha) e decidi aventurar-me... O resultado não podia ser melhor... 

FOLHADOS DE ALHEIRA COM ESPINAFRES*

1 rolos de massa folhada
1 alheira
1 molho de espinafres
1 dente de alho azeite
1 fio de azeite
sal e pimenta q.b.
1 gemada de ovo para pincelar
  1. Corte a placa de massa folhada ao meio de modo a formar 2 rectângulos que possam depois ser transformados em quadrados (por aqui arranjei umas placas de massa folhada que já vêm cortadas em quadrados... na verdade foi a única que encontrei mas serviu bem para o efeito...);
  2. Saltei os espinafres com um fio de azeite e tempere com sal e pimenta;
  3. No centro de cada quadrado coloque um pouco dos espinafres e uma rodela de alheira (à qual retirou previamente a pele) e tempere com pimenta;
  4. Dobre agora cada rectângulo ao meio de modo a formar um quadrado, e pressione bem as pontas dobrando, para os folhados não abrirem durante a cozedura. Pincele cada um dos folhados com gema de ovo batida com 1 colher de sopa de água, e coloque-as num tabuleiro grande, forrado com papel vegetal. Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC até a massa folhar e estar dourada, cerca de 40 minutos.
Bon appetit!!!

21 de novembro de 2011

Desire to inspire...

A minha Maggie é uma vedeta...
Mandei umas fotos dela para um blog de decoração que tem uma rubrica sobre animais de estimação à segunda feira - "pets on furniture" - e eis que ela aparece toda catita logo no principio do post... É linda a minha princesa...

Credits desiretoinspire.net

17 de novembro de 2011

There are friends like that...

...que mesmo apesar da distancia, e mesmo quando desterrados no fim do mundo (salvo seja) nunca se esquecer de nós. Assim é com a minha afilhada linda... de quem eu tenho imensas saudades! E assim foi a bonita maneira de estrear a nossa caixa de correio sem ser com contas!!!

That's not me...

Nem sei que diga... e depois a outra (a tal da casa dos segredos que é uma atrás das outras...)... O que é que aquelas bestas têm na cabeça?!?!?! ...Ar... e na volta um ou dois neurónios que andam à bulha um com o outro... é o cúmulo meu povo... o cúmulo...


Vox Pop: A ignorância dos nossos universitários (vídeo)
16-11-2011
Por André Barbosa e Tânia Pereirinha e imagem de Joana Mouta
Enquanto Portugal se ri da auxiliar de acção médica concorrente da Casa dos Segredos, que julga que África é um país da América do Sul, a SÁBADO fez um teste básico a 100 alunos de universidades de Lisboa. Ana Amaro, de 18 anos, que frequenta a licenciatura com o mestrado integrado em Psicologia do Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA), está a fumar à porta da faculdade, em Alfama. Aceita participar no teste de cultura geral da SÁBADO (20 perguntas, divididas por dois questionários de 10, ambos com um grau de dificuldade mínimo), mas está mais preocupada em acabar o cigarro. À quinta questão (qual é a capital dos Estados Unidos?), começa a atrapalhar-se. “Estados Unidos...? A esta hora é muita mau”, queixa-se. Não são 7h, são 13h30, e os colegas começam a sair para o almoço. Mas Ana parece ter acordado há 10 minutos, suspeita que a própria confirma. A partir daí, é sempre a cair. Não sabe quem escreveu O Evangelho Segundo Jesus Cristo, quem fundou a Microsoft, quem é Maria João Pires nem que instrumento toca. E não parece preocupada. Afinal, acabou de acordar. “Não dei isso no 12.º ano”, “Cinema não é comigo”, “Não me dou bem com a literatura” – na arte de justificar a ignorância, os estudantes universitários inquiridos pela SÁBADO têm nota máxima. “Se perguntasse alguma coisa de psicologia, agora cultura geral...”, diz Janine Pinto, optando pela desculpa número um.
– Quem pintou o tecto da Capela Sistina?
Ai, agora... Tudo o que tem a ver com capelas e igrejas não sei (desculpa número dois dos universitários).
– E quem escreveu O Evangelho Segundo Jesus Cristo?
Eh pá! Coisas com Jesus Cristo?! Sou fraca em religião ... (desculpa número três). E se é que isto serve de desculpa, aqui vai a número quatro: Janine, tal como muitos outros inquiridos, não está num curso de Teologia, nem de Artes.
Mas Bruno Marques, 18 anos, no 1.º ano de Ciências da Cultura na Faculdade de Letras, escorrega num tema que deveria dominar.
– Quem é Manoel de Oliveira?
Já ouvi falar, mas não sei quem é.
– Estás em Ciências da Cultura. Dás Cinema?
Sim, algumas coisinhas, mas não sei...
Pedro Besugo, 18 anos, estreante no curso de Turismo da Lusófona, admite não saber qual é a capital de Itália. Perante a insistência da SÁBADO (“Então estás a tirar Turismo e não sabes?”), responde: “Será Florença?” Não é. Como também não é Veneza, nem Milão ou Nápoles, como outros responderam. Não saber quem pintou a Capela Sistina ou Mona Lisa (um aluno responde Miguel Arcanjo; outro Leonardo di Caprio) é igualmente grave. Talvez não tanto como pensar que África é um país da América do Sul ou não fazer ideia do que é um alpendre. Mas Cátia Palhinhas, do reality show Casa dos Segredos2, autora destas e de outras respostas, que põem o público a rir, não frequenta o ensino superior – é auxiliar de acção médica e está a tirar o 12.º ano à noite no programa Novas Oportunidades. Aos 22 anos, sonha tornar-se “conhecida e vencer na televisão”. Por isso, não está nada preocupada em saber qual o maior mamífero do mundo – “É o dinossauro!”, disse há umas semanas. Há universitários que responde “mamute” à mesma questão. Catarina, 20 anos, aluna de Psicologia do ISPA, fica na dúvida: “É o elefante. É o mamute. É o elefante. Acho que é o elefante. O elefante é de África e o mamute da Antárctida”.

Artigo completo em revista Sábado

15 de novembro de 2011

Living house...

Disse-me o meu homem que eu tinha que fazer um post chamado "Casa Viva". Pois assim será... As transformações cá em casa começaram no dia em que a decidimos alugar... E começou logo pelo chão... sim o chão... A aventura do chão é antes de mais uma saga, uma trilogia (esperamos nós senão temos que tirar o chão pela quarta vez) tal qual Indiana Jones... Mas a história do chão ficará para uma história... Por hora a história do nosso quarto. Depois de alguma pesquisa e inspiração chegamos a um consenso:


Ora a história começou assim, num quarto triste e despido... Depois do chão, chegou o colchão e os roupeiros... Ainda dormimos umas semanas no colchão (sim, que isto de começar de novo dá cabo do orçamento... e já não me lembrava do que isto era...).


Numa casa que em Portugal já vai pra 9 anos ainda não temos candeeiros e só passado uns 5 ou 6 anos pusemos cortinas... Ahhhhh cortinas... esse "objecto" quase decorativo... decorativo my ass... Imagem esta linda janelinha com cerca de 3,80 metros de largura por 2,70 metros de altura... Lindo ... muito luz... EXACTO... muita luz... Oh povo, e com é que eu durmo?!?!?!?!? Nada que não se resolva com aquilo que eu chamei de "Cortinas recicladas do IKEA", ora vejam...


Veja-se as afamadas "Cortinas recicladas do IKEA" bem como os fantásticos "puxadores recicláveis do IKEA". Estes tonhós (vulgo nós) compramos os roupeiros e os puxadores, mas quando chegamos à parte da montagem é que reparamos que era as portas não tinham já os furos... Barraca ... que não temos nada para fazer furos e por isso foi o que se arranjou na altura. A cabeceira da cama, ficou por uns tempos (meses...) naquele que um dia será quarto das visitas, daí termos uns banquitos como mesas de cabeceira... enfim... Devagar se vai ao longe!!!


Numa das procuras incessantes pelas cortinas ou por qualquer outra coisa que tape a luz (para que possamos finalmente reciclar as cortinas recicláveis) demos com estes decalques e pensamos que seria boa ideia dar uma corzita os nossos roupeiros. A tarefa sobrou pra mim, e se bem me lembro do dia, tratei do assunto enquanto o meu homem tratava do almoço (sou uma rapariga de sorte...) O resultado não podia ser melhor... 


Ora que depois da compra do fim de semana da última peça de furniture (oh que chique...) a nossa linda cómoda, por ora acho que estamos satisfeitos...


... quer dizer... Ora vamos lá recapitular o que ainda falta:

  • Candeeiro do tecto (bem pode esperar que não temos pressa nenhuma...);
  • Qualquer coisa para pendurar em cima da cama ou em cima da cómoda (estamos em negociações e em busca de uma qualquer inspiração...);
  • Cortinas (é com muito gosto que digo que já estão compradas e encomendadas, mas por falta de stock do tecido, mais as férias de Natal que aí vêm só as devemos pôr para o ano...)
Com clama... devagar se vai ao longe...
Afinal vivemos numa "Casa Viva" ;)

14 de novembro de 2011

Brood...

... que é como quem diz pão nesta lingua remordida entre dentes....
aqui tinha mostrado a minha nova proeza de fazer pão sem máquina. Pois de tão aprovado que ficou que agora não compramos pão... Mais coisa, menos coisa - dia sim dia não - faço um pãozinho destes (a ver se não acabo o fermento antes de ir a Portugal senão é uma chatice...) é que já procurei mas não encontro o dito fermento... Enfim, a língua também não ajuda, mas um dia destes havemos de nos dedicar à coisa. Por agora aqui fica mais uma foto dum pãozinho para vos deixar de água na boca...

I Love...

... my owners' bed ...

11 de novembro de 2011

Immortal Beloved

Piroso, mais lindo...
Good morning

July 7 

Though still in bed, my thoughts go out to you, my Immortal Beloved, now and then joyfully, then sadly, waiting to learn whether or not fate will hear us - I can live only wholly with you or not at all - Yes, I am resolved to wander so long away from you until I can fly to your arms and say that I am really at home with you, and can send my soul enwrapped in you into the land of spirits - Yes, unhappily it must be so - You will be the more contained since you know my fidelity to you. No one else can ever possess my heart - never - never - Oh God, why must one be parted from one whom one so loves. And yet my life in V is now a wretched life - Your love makes me at once the happiest and the unhappiest of men - At my age I nedd a steady, quiet life - can that be so in our connection? My angel, I have just been told that the mailcoach goes every day - therefore I must close at once so that you may receive the letter at once - Be calm, only by a clam consideration of our existence can we achieve our purpose to live together - Be calm - love me - today - yesterday - what tearful longings for you - you - you - my life - my all - farewell. Oh continue to love me - never misjudge the most faithful heart of your beloved.

ever thine

ever mine
ever ours

O que é nacional...

... é bom! Descobri esta marca e estou mesmo embeiçada... Tem coisas lindas..............
A MatCeramica foi criada em Dezembro do ano 2000 e é resultado da reestruturação do grupo faiart. Reposicionou a sua oferta de produto, abandonando o produto decorativo (vasos) para especializar-se na louça utilitária para a mesa. Nestes dez anos tem apostado, nos recursos humanos, qualidade, tecnologia, marketing e na sua oferta de produto. Neste momento é uma das maiores empresas produtoras da Europa e encontram-se os seus produtos por todo o mundo, nas mais prestigiadas cadeias e redes de distribuição, grandes superfícies, department stores, lojas de museu, lojas online, até ao pequeno retalho.

8 de novembro de 2011

Lost for you...

  
Os anjos não têm costas por isso não te vi 
Só mais tarde ao passar eu reparei em ti 
Quando quis desviar os meus olhos dos teus 
Já não era possível já não te disse adeus 
Os anjos têm asas e abriste-as para mim 
Levaste-me ao céu e eu fiquei assim 
Voando por aí 

Completamente perdida por ti 
Completamente perdida por ti 

Os anjos não têm casa telefone ou morada 
E assim fiquei à espera de uma tua chamada 
Mas como para os anjos o tempo não existe 
O tempo foi passando e eu cada vez mais triste 
Deixei a minha nuvem perdi-me por aí 

Completamente perdida por ti 
Completamente perdida por ti 

Os anjos não têm sombra
e eu não te vi descer do céu 
Com uma flor que me querias oferecer 
Hoje vivemos juntos aqui ao pé do mar 
Porque eu não tenho asas porque eu não sei voar 
Mas sempre que eu te peço tu levas-me ao céu 
Abres as tuas asas e o teu corpo é meu 
E deixas-me nas nuvens voando por aí 

Completamente perdida por ti
Lucia Moniz, PERDIDA POR TI

Kabeljauw...

Credits bacalhauchronicles.blogspot.com
BACALHAU
(Do neerlandês cabbeliau, «idem»)
nome masculino
ICTIOLOGIA peixe teleósteo da família dos Gadídeos, abundante nos mares do Norte, utilizado frequentemente na alimentação, em certos países, depois de seco e salgado.


Noutro dia em conversa com a andorinha fartei-me de falar de receitas de bacalhau. Pois claro que fiquei logo a aguar, que é como quem diz que fiquei a salivar só de pensar no assunto... Ontem decidi por mãos à obra, e experimentar tal receita banal na cozinha portuguesa, que tenho cá para mim que não existe só 1001 maneiras de a fazer, mas que cada cozinheiro/a que a faz, a cozinha de maneira diferente!!!
Do famoso Bacalhau com Natas, lembro-me muito bem, e já com água na boca, do da minha Gabi e da minha Sandra... Bons tempos e grandes, grandes recordações das nossas jantaradas... Depois de procurar a receita e de descobrir que não há uma igual à outra, decidi-me pela receita da colher-de pau. Ficou mais do que aprovada, como se viu pelo tabuleiro vazio no fim, ainda que o marido tenha dado a dica que as batas podiam ter sido cortadas mais pequenas. Fica a nota para uma próxima. Estou também ainda a decidir se da próxima, em vez de usar o nosso tradicional bacalhau salgado, uso bacalhau fresco - Kabeljauw - que se encontra com alguma regularidade por aqui. Só tenho que fazer as contas e ver o que fica mais em conta...


BACALHAU COM NATAS*
Bacalhau demolhado
Azeite
Alho
Louro
Cebola
Cenoura
Batatas
Óleo para fritar
Farinha
Margarina ou Manteiga
Leite
Noz moscada
Pimenta
Sal
Natas
Pão ralado
  1. Coza o bacalhau, limpe-o de peles e de espinhas e desfaça-o em lascas.
  2. Corte a cebola em meias luas, pique o alho e leve ao lume numa panela com azeite e uma folha de louro. Quando a cebola começar a ficar translucida, junte o bacalhau e deixe cozinhar.
  3. Rale a cenoura e junte ao preparado do bacalhau. Rectifique de sal e pimenta, mexa bem e reserve.
  4. Entretanto corte as batatas em cubos ou rodelas e frite em óleo bem quente (as batatas não precisam de ficar douradas!)
  5. Faça o molho bechamel. Coloque num tacinho um bocadinho de margarina (eu prefiro manteiga) a derreter, polvilhe com farinha e deixe a farinha cozer. Vá depois juntando leite pouco a pouco, até a mistura ficar com a consistência desejada. Tempere de sal, pimenta e noz moscada.
  6. É então altura de juntar as batatas com a mistura de bacalhau e com o molho bechamel. Misturar bem e colocar num pirex.
  7. Regar tudo com as natas (o que que não fiz, uma vez que fiz bechamel a mais e optei por lhe adicionar um bocadinho mais de leite e fazê-lo mais liquido para por por cima)  e polvilhar por cima com pão ralado. Levar a forno quente até ficar tostadinho!
*Receita daqui As Minhas Receitas

Bon appetit!!!

5 de novembro de 2011

Casa Portuguesa...

Numa casa portuguesa fica bem,
pão e vinho sobre a mesa.
e se à porta humildemente bate alguém,
senta-se à mesa co'a gente.
Fica bem esta franqueza, fica bem,
que o povo nunca desmente.
A alegria da pobreza
está nesta grande riqueza
de dar, e ficar contente.
Quatro paredes caiadas,
um cheirinho à alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um São José de azulejo,
mais o sol da primavera...
uma promessa de beijos...
dois braços à minha espera...
É uma casa portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma casa portuguesa!

2 de novembro de 2011

Academic Dress Code...

Credits phdcomics.com    

The big scare...

Credits abiwindowcleaning.com
E se de repente um senhor lhe disser adeus no lado de fora de uma janela do 6º andar??? Não se assuste... é só o limpador de vidros...

(Fonix... que ainda tou toda a tremer e já passou uma hora...)

A Thousand Bikes...


Bicicletas são como as mulheres. Belas e com curvas, diferentes, subtis. Algumas com mudanças complicadas, outras simples, pegar e andar. Umas belas e únicas. Outras produzidas em série. Umas dos mais nobres e caros materiais, outras do mais simples que aparece. Umas por quem vale a pena lutar, outras que deixamos por ai...
Em dia de Todos os Santos, o lema aqui será: Vinde a mim todas as bicicletas!
Serão bicicletas por aqui. Uma por dia, a não ser que a ocasião justifique mais. As contribuições de amigos e inimigos serão bem vindas. Quando chegarmos às mil bicicletas? Nessa altura sairemos para o por do sol, montados nas nossas!

31 de outubro de 2011

Happy Hallowen...

Credits marthastewart.com  

Driving around...

Um destes fins-de-semana, como estava bom tempo (que por aqui quer dizer sol e não calor...) decidimos dar uma volta pelas redondezas... Já tínhamos passado pelo dique Afsluitdijk mas estava tanta chuva e tanto frio que não deu para parar. Mas desta vez deu. É um dique de fecho, um dique gigante que liga o norte da Holanda do Norte com a província da Frísia, nos Países Baixos, fechando o lago IJsselmeer e separando-o do Mar de Wadden. É mesmo gigante, e a sua própria construção é surpreendente... Tem um comprimento de 32 km, uma largura de 90 m, e uma altura original de 7,25 m sobre o nível do mar. É actualmente uma auto-estrada de duas faixas por sentido (a A7 ou E22) e tem também, como não podia deixar de ser, uma faixa para bicicletas corre paralela à auto-estrada.


Como ainda não era tarde, demos uma pulinho à cidade de Leeuwarden a fim de ver a Torre de Oldehove. É uma torre de uma igreja inacabada e fica localizada no centro desta cidade medieval holandesa, possuindo uma inclinação superior à da torre de Pisa, em Itália. Durante a sua construção, a torre começou a ceder, e os construtores tentaram compensar através da inserção de várias "dobras", mas o projeto foi interrompido em 1532/33. Entre 1595-1596, a igreja foi demolida mas a torre continua. Está listada como um Rijksmonument , número 24.331.

Housewarm Party...

"Hello all,

Me and Carolina would like to invite you (and your partners/family) to come to our Housewarm Party, that we planned for the 29th October. Our plan is to have Portuguese food and drinks (wine and beer)...
No passado fim de semana demos a nossa Housewarm Party, que é como quem diz a "inauguração oficial do nosso estaminé".  O que começou com um simples email tornou-se num dia de muita cozinha (que apesar do cansaço vale de todo a pena) e numa tarde / noite bem passada entre amigos, com uma mesa recheada da nossa comida e bebida portuguesa. Uma noite a repetir mais vezes... Obrigada a todos que tornaram esta noite memorável... 

Ora e no nosso menu tínhamos:
- Cogumelos Recheados com Bacon e Queijo de Cabra
- Folhados de Espinafres e Alheira
- Paté de Delícias
- Salada de Bacalhau
- Salada de Polvo
- Chouriço Assado e Pão Caseiro
- Bolinhos de Bacalhau

E de bebidas:
- Super Bock
- Casal Garcia
- Compal

30 de outubro de 2011

Can be...

Ayada Maldivas fica localizado na ilha de Maguhdhuvaa, na zona Atoll Gaafu Dhaalu. O resort é composto de 112 moradias de luxo. Águas azuis, areias brancas, vegetação luxuriante fazem deste sítio um pequeno paraíso em miniatura... Ora são duas passagens para aqui... tipo 15 dias ou um mesito... Pode ser???

Credits freshome.com
Credits freshome.com

28 de outubro de 2011

Noise...

Tendo em conta a minha conversa do outro mundo com a vizinha, que me dizia que às 8 horas da noite já era tardíssimo.... Mas o que a senhora estava chateada... Enfim...

BARULHO (Corruptela de marulho)
nome masculino
1. conjunto de sons dissonantes; ruído; 2. tumulto; desordem; 3. confusão; atrapalhação; 4. figurado publicidade; notoriedade

19 de outubro de 2011

Changing...

TRANSFORMAÇÃO (Do latim transformatiōne-, «idem»)
nome feminino
1. ato ou efeito de transformar; 2. alteração do estado normal; modificação; 3. mudança de forma; metamorfose; 4. processo gradativo de mudança de estado ou condição; evolução...
Aos bocadinhos a coisa vai-se compondo...

I have been tricked ...



Pensamento da minha princesa:


Oh diabo...
Fui enganada, com promessas de dias solarengos, tulipas e moinhos...

18 de outubro de 2011

Bread...

PÃO (Do latim pane-, «idem»)
nome masculino
1. alimento feito com farinha de trigo ou de outros cereais amassada, geralmente fermentada e cozida no forno; 2. cereal de que se faz este alimento; 3. figurado meios de subsistência; sustento; 4. figurado auxílio moral; 5. figurado, coloquial pessoa atraente...

Depois de vir para este país, fiquei um cadito frustrada como pão... Não sei, não gosto! Se há coisa que gosto na minha terra é do pão. Já tinha equacionado em Portugal comprar uma máquina de fazer pão, mas a ideia foi sendo sempre adiada (outros valores se levantaram, pois então!!!)... enfim... 
Há algum tempo sou seguidora do blog As Minhas Receitas da Joana Roque. Sou mesmo fã... Não tem conceitos rebuscados, nem ingreditentes que tenho que procurar no dicionário... Por alguma razão fiz uma pesquisa por pão e tchanammmmmmmmmmmmmmm... Achei! Confesso que não sou fã de medidas em chávenas ou colheres, por isso pesquisei mais e encontrei  em Pão, Bolos e Cia. mesmo o que precisava.


Receita original:
1,5 colher (sopa) de fermento biológico seco
1,5 colher (sopa) de sal grosso
3 chávenas de água
6,5 chávenas de farinha de trigo


Receita alterada (segundo Pão, Bolos e Cia.):
1 colher (sopa) de fermento biológico seco
1 colher (sopa) de sal grosso
700ml de água
1kg de farinha de trigo T65

PREPARAÇÃO (segundo Pão, Bolos e Cia. e as As Minhas Receitas)
  1. No recipiente de plástico escolhido (Será aconselhável usar um de plástico de 6 litros que tenha tampa. Eu comprei um do IKEA), colocar o fermento, o sal e a água. Mexer ou agitar. Juntar a farinha e mexer no centro, com uma colher de pau, até toda a farinha das bordas ficar incorporada.
  2.  Deixar levedar cerca de 2h, tapado, à temperatura ambiente.
  3. A massa está pronta para ser usada, ou pode ir para o frigorífico.
  4. Quando for para ser usada, polvilhar a superfície da massa com farinha, puxar a quantidade desejada (depende do tamanho que quer que o pão tenha) e cortar com uma faca de serra ou tesoura. Colocar numa superfície enfarinhada (aconselha-se usar sémola de milho, mas eu não tinha e por isso usei farinha normal de trigo) e tende-se uma bola amassando o mínimo possível, rodando a massa e virando para baixo as bordas.
  5. Deixe repousar no tabuleiro onde vai a cozer a massa , previamente polvilhado com farinha de milho (como não tinha isso usei farinha normal de trigo), à temperatura ambiente, durante pelo menos 30 minutos. Polvilhe o pão com um pouco de farinha de trigo e faça uns cortes na massa para que esta abra durante a cozedura. 
  6. Coloque o pão no forno bem quente (o meu estava a 230º porque é forno-microondas, talvez num normal só pusesse 200º) e deixe cozer durante cerca de 40 minutos.
Bon appetit!!!

14 de outubro de 2011

I'm tired...

Fartinha...
"Estou farto daquilo em que se tornou este país. Estou farto de estar farto deste país. Estou farto de aldrabões, de vigaristas e de ilusionistas. De "doutores" e "engenheiros", senhores que secam tudo à passagem. Farto de políticos de vão de escada e de elefante Branco. Farto de offshores sem dono. Fartos de idosos com pensões de miséria. Farto de empresas a fechar e famílias destruídas. Farto de ver amigos à rasca. Farto da justiça comprometida, de procuradoras bizarras e de um Ministério Publico caquéctico. Farto de ver pessoas desdobrarem-se para conseguirem sobreviver. Farto de indignidades e desemprego. Farto de banqueiros e de bancos metidos em todos os grandes casos de corrupção. Farto de Casa Pia e de Face Oculta. Farto da falta de vergonha na cara de quem promete o que nunca irá cumprir. Estou farto de ver miséria escondida, envergonhada pela sociedade iludida e pura de consumo, embriagados que andámos pelo excesso de dinheiro que choveu até a torneira europeia secar e voltarmos à estaca zero, com mais snack-bares e cafés, tudo a fundo perdido. Farto de ver o mérito ser apenas mais uma palavra de dicionário. Farto de filhos da mãe. Farto de assistir à promoção da estupidez, da ignorância premiada e do compadrio a alastrar. Farto de ver pessoas entregarem as suas casas aos bancos, os mesmos que financiaram a compra sem critério. O Ronaldo é que sabe mas os Martins é que vão viver para a garagem. O Mourinho é o maior e você está falido. Mas pense positivo: têm conta no mesmo banco.

Estou farto de ver acéfalos a falar de despesismo, o que se deve e não gastar, onde se deve e não cortar. Farto da falsa direita e da esquerda de sauna. Farto de conselhos dos velhos que lixaram isto tudo. Estou farto do FMI e dos ratings de empresas imorais a soldo dos EUA. Estou farto da senhora Merkel e das facturas escandalosas da EDP. Farto de gente a falar da críse sem a cheirar. Estou farto da boçalidade de Jardim e de gente que num país a sério seria obrigada a explicar o que faz e porque fez. Farto de Fundações e empresas públicas falidas. Farto da desresponsabilização. Farto de incompetência. Farto do Magalhães e do embuste das renováveis. Farto da gestão de mercearia na saúde pública. Farto de ver um Presidente da República a agir como uma jarra da vista Alegre em dia de festa no palácio. Farto de ver agricultores pagos para não produzirem. Fartinho de ver tudo a queixar-se e ninguém fazer nada e de me queixar e ser insultado - "se não gostas vai-te embora" - como se fossemos obrigados a gostar do estado em que estamos e estar caladinhos. Farto de ver gente genial partir desta selva. Ponham novamente a porcaria do Cravo nas arminhas e façamos uma revolução se os chaimites pegarem à primeira e houver gasolina nos depósitos. Uma "revoluçãozinha" à portuguesa, daquelas limpinhas, ordeiras e com paragem para pastéis de bacalhau e arroz de tomate. Povo de brandos costumes e...blá blá blá. Viva, viva a liberdade e agora toca a gamar.
Ou então façamos uma a sério, assim à grega, aqueles maluquinhos que certo dia inventaram a "democracia" e que agora são uns vândalos e tal, ou estarei enganado? Daqui a 40 anos cá estará alguém a queixar-se. Espero que não os mesmos de sempre."

Por Tiago Mesquita in expresso.pt
Quinta feira, 29 de setembro de 2011

13 de outubro de 2011

Minority Report...

Nem o Spielberg nem o Tom Cruise sabiam que iam ser responsáveis por isto...
Já lá vão 9 anos...



"Foi a noite mais bela de todas as noites que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios que à noite de aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram..."

Estrela da Tarde
José Carlos Ary dos Santos

11 de outubro de 2011

R is for Rain...

CHUVA (Do latim pluvĭa-, «chuva»)
nome feminino 
1. METEOROLOGIA forma de precipitação de água no estado líquido sob a forma de gotas, provenientes da condensação do vapor de água existente na atmosfera; 2. figurado tudo o que vem ou cai em grande abundância; 3. Brasil embriaguez. 
Credits google.com
 ... e depois destes dias de pleno Verão em Portugal eis que chegamos!!!
Parece-me que a partir de agora temos chuvinha todos os dias...

F****...

14 de setembro de 2011

O que é nacional...

... é bom! Mais uma vez produtos nacionais a dar cartas lá fora, desta vez os nossos vinhos! Três vinhos portugueses foram eleitos para o grupo dos 25 melhores a nível mundial pela revista especializada Decanter, que anunciou na quarta-feira à noite os vencedores dos Prémios Mundiais do Vinho.
Bacalhoa Moscatel 2004 foi eleito o melhor vinho licoroso a menos de 10 libras (11 euros), o Tagus Creek Shiraz e Trincadeira 2010 o melhor tinto de mistura a menos de 10 libras e o Madeira Verdelho Henriques & Henriques 15 anos o melhor vinho licoroso a mais de 10 libras. .. é bom!

Credits google.com