Translate...

14 de novembro de 2013

Sebastião, the desired one...

14 Outubro 2013 será sempre para nós o dia do nosso Sebastião, o Desejado, tal como o rei de Portugal...
Ora que a noite de Domingo começou com contracções, eram irregulares, espaçadas pelo que não me preocupei apesar do desconforto já ser bastante... O meu Bruno foi para a cama mas eu sem sono e a contorcer-me com as dores fiquei pelo sofá à espera de novidades... Aí às 3h da manhã já de segunda comecei com contracções relativamente regulares, como já não aguentava as dores, e a conselho da médica, lá fui acordar o homem, agarramos na mala e fomos para o hospital...

Fui atendida pela médica de serviço que me disse que ia ficar, apesar das contracções não serem regulares, já estava com 3 centímetros de dilatação. Eu fiquei feliz da vida, ora se com 3 centímetros estava relativamente bem, a coisa não ia custar e num instante ia ter cá fora a minha pequena lontra! Lá me encaminharam ao quarto/ sala de partos, mas quando a enfermeira me veio ver, disse-me logo: Olhe, a médica ainda devia estar a dormir... olhe que ainda faltam para os 3, o marido se quiser pode ir para casa! Raios que já e trocaram as voltas... isto afinal ainda é capaz de demorar.

O meu Bruno, aguentou-se ali de pedra e cal, e afinal a enfermeira tinha razão... tanto tinha que eu  acabei por adormecer... Após a mudança de turno, e passadas cerca de 4/5h tinha 3... Uma vez que no dia a seguir já fazia 41 semanas, o como a minha lontrinha adivinhava-se grande, a médica optou por me rebentar as águas e induzir o parto. Pensei eu... Isto agora é que vai andar... O concelho do enfermeiro, o Bruno foi tomar um banho e comer qualquer coisa...

Claro que foi quando ele saiu que a coisa começou a doer... Fonix... DROGAS, DÊEM-ME DROGAS... O enfermeiro (sim, no masculino... o que teve a sua piada quando ele entrou na sala de manhã...) aconselhou-me a esperar mais porque a epidural atrasaria o parto. Oh que raio... mas se isto agora já me está a custar horrores, se eu espero, trepo as paredes... Lá aguentei mais um bocado (o que me pareceu uma eternidade, mas não teve ter sido mais que meia hora...) até voltar a implorar pelas drogas...

The best of my day...

mapetiteprincesse.pt
No final do dia, antes de fechar os olhos e ceder ao cansaço, fazemos um exercício: escolher o melhor do nosso dia. Fazemos as pazes com o que correu mal, aceitamos as respostas que ainda precisam de tempo, acalmamos os medos e as angústias e guardamos apenas o melhor. Podem ser horas de festa ou apenas um instante de silêncio.

Decidi participar neste desafio da Catarina e da Ana, intitulado "O melhor do meu dia" - é uma fotografia feita de letras em que ficamos sempre bem. É essa a memória que queremos guardar. É a essa a força que queremos para o dia seguinte: adormecer com um sorriso.

Ora, o melhor do meu dia é sem dúvida nenhuma acordar ao lado dos meus dois Super-Homens: o meu Bruno - o meu amor, meu companheiro, meu marido, meu amigo... - e o nosso pequeno rebento, Sebastião, que mesmo nos dias menos bons, com todas as cólicas e fraldas sujas, faz com que o impossível seja possível e um sorrisinho dele torna os nossos dias simplesmente felizes...