Translate...

22 de setembro de 2013

My bellyland...

Quando casamos optamos por não ter fotografo (mas ainda assim temos fotos incríveis graças a alguns amigos, e o álbum de casamento mais lindo do mundo e arredores graças a minha Monikita...) mas desde que engravidei que pensei em fazer uma sessão fotográfica da minha barriguinha linda...

É incrível o poder que esta pequena lontra tem em mim...

Sem ter um fotógrafo conhecido, fiz várias pesquisas pela Internet... Na grande maioria as fotos que encontrei não me diziam nada, não tinham uma história, não tinham vida, limitavam-se a um par de barrigas à mostra sem muito a dizer... Até que descobri o mundo encantado da Marta da Dream Maker.

Foi um fim de tarde em Serralves mágico! A Marta é uma pessoa extraordinária que desde logo nos deixou o mais à vontade possível e tornou um simples fim de tarde num momento mágico que não iremos esquecer. 

A felicidade em que ambos sentimos ao longo desde nosso momento é gigante e isso vê-se nas fotos... Obrigada à Marta por toda a atenção e carinho e por ter conseguido captar este nosso estado de graça com tamanha arte, simplicidade e paixão...


Photography by Dreamaker

17 de setembro de 2013

Week 36...

E assim de repente entramos no último mês... Teoricamente a nossa pequena lontra irá nascer daqui a 4 semanas, se bem que já pode nascer a qualquer altura... Eu bem sei que há para aí algumas apostas que ele nasce na semana X ou no dia Y, mas o que eu quero mesmo é que, como se diz por aí, que seja uma hora pequenina e que ele nasça cheio de saúde.

Na terça tivemos mais uma aula, para além das básculas que fazem já fazem parte da nossa rotina, aprendemos alguns tipo de respiração que podem ajudar durante o parto. Mas que raio... com 31 anos já não saberei respirar??? A verdade é que para além de existirem vário tipos de respiração, esta torna-se fundamental durante o trabalho de parto, não só porque a ajuda na altura da expulsão e no decorrer da dilatação, mas também ajuda a controlar a dor. Resumidamente deveremos conhecer três tipos de respiração (in simplesmentebebe.com):
  1. Quando sentir que se está a aproximar uma contracção deve inspirar profunda e lentamente pelo nariz e expirar pela boca. Deve repetir o mesmo exercício após a contracção.Esta forma de respirar não a vai ajudar só a si, mas também e principalmente ao seu bebé. Quando ocorre uma contracção o seu útero comprime o bebé e o cordão umbilical, ou seja, durante o tempo da contracção o bebé não recebe oxigenação. Esta respiração irá, de certa forma, compensar essa falta de oxigenação, tanto antes como depois da contracção. Por outro lado, você vai manter-se concentrada da respiração e ficará, seguramente, mais calma.
  2. Na fase de expulsão a tendência é fazer força na barriga. Errado. Ao contrair o abdómen o bebé tende a subir em vez de descer. Nesta fase a respiração é fundamental. A chamada respiração abdominal consiste em inspirar profundamente e de seguida libertar o ar pela boca lentamente, relaxando o diafragma e concentrando toda a sua força na região de expulsão. Pode parecer difícil, mas, mantendo a calma e com a ajuda da equipa médica tudo se tornará mais fácil.
  3. Esta respiração será a menos usada. Se por algum motivo o seu médico assistente/parteira lhe disse que “não pode fazer força ainda“, quando tudo o que lhe apetece naquele momento é fazer toda a força do mundo…Calma…É possível. Esta é a chamada respiração de vela. Imagine que têm uma vela à sua frente, sopre para a vela rápida e levemente, mas sem nunca a apagar. Na prática o que têm que fazer é respirar pela boca, libertando o ar em forma de sopro. Esta respiração também pode ser usada para atenuar a dor durante as contracções antes mesmo da fase de expulsão.
Aproveitamos ainda os últimos raios de sol do Verão e fomos, depois do trabalho do marido, até à praia. Adoro praia, e em Setembro mais ainda... sem barulho e sem grandes confusões... fizerem destes dias o fim de tarde simplesmente perfeito ツ

Credits babycenter.com

10 de setembro de 2013

Week 35...

E mais uma semana mais uma voltinha... Esta semana faltei pela primeira vez a uma aula... Passei a segunda e parte da terça-feira com contracções de Braxton Hicks, pelo que optei por ficar sossegadinha entre o sofá e a cama. 

Na verdade, e à medida que uma gravidez avança, as chamadas contracções de Braxton Hicks podem ficar mais intensas e é possível que doam (e ás vezes de que maneira...), e se somarmos a isto ter a criatura a esticar os seus pézinhos de lontra pelas minhas costelas a cima, é ouro sobre azul...

Esta semana foi também a altura de começar a registar os movimentos fetais, uma das várias maneiras de percebermos se o bebé está bem, dentro do útero materno. A contagem dos movimentos fetais é um teste simples, realizado normalmente no 3.º trimestre de gravidez que permite à grávida perceber quando há alterações no padrão dos movimentos, sendo que isto pode ser um sinal de alerta e levar a uma intervenção e prevenção de potenciais problemas.

A contagem dos movimentos fetais deve começar a ser realizada:
  • Numa gravidez de baixo risco, às 35 semanas (e se repararem, o livrinho da grávida tem lá o local para o registo).
  • Numa gravidez de alto risco, às 28 semanas.

A barriga vai crescendo, e crescendo, e dou pelas pessoas dizerem: Oh menina, deve estar quase quase a nascer... ou então: Mas tu tens uma barriga muito grande... Pois que tenho uma barriga muito grande sim senhor, tudo da minha pequena lontra, que ainda não engordei uma grama, e não... ainda falta um mês (se for como o planeado...) mais coisa menos coisa, para o pequenote se juntar a nós!

Credits havaianas.com
No fim de semana, demos um pulinho ao Algarve, e fizemos a primeira praínha do ano... E que saudades que eu tinha da praia, das empadas de frango de Almancil, dos amigos, do sol,.. Enfim... Vim de lá de coração cheio, de energias renovadas (apesar da viagem de carro me ter custado um bocadinho pelo tempo que se passa sentada...).  

Como já disse várias vezes, os nosso amigos, mimam-nos demais, e para além duns lençóis lindos lindos para o berço, a nossa amiga J. trouxe directamente do Brasil umas havaianas lindas e fofinhas que só visto! Chiça pá, que o meu feijão, vai ser o moço mais giro do pedaço!

Credits babycenter.com

3 de setembro de 2013

Week 34...

Ena... Only six to go...

Esta semana foi de bricolagem cá por casa. Aproveitei que o homem estava fora (e não é nada dado a isto...), para reciclar o berço que uns amigos nos ofereceram. Estava praticamente como novo (apesar de já lá terem dormido 4 crianças fofinhas...), mas quisemos dar um toquesinho pessoal. Levou um colchão novo e ficou branquinho como a neve... lindo, lindo lindo...

Esta semana nas aulas, trabalhamos mais básculas e falamos de Amamentação. Já tínhamos tido uma aula sobre amamentação, mas o tema é tão complexo e tão abrangente que muito há para falar e mil e uma dúvidas há para tirar. O nosso grupo é bastante participativo o que torna as aulas animadas e divertidas. Mas por vezes a enfermeira vê-se à nora para nos conseguir controlar no meio de tanta pergunta e de tanta partilha (eu pessoalmente prefiro assim porque existe uma verdadeira troca de ideias...).

Ora sobre a amamentação pode-se ler (in sosamamentacao.org): 
O leite materno é a forma natural da mãe alimentar o seu filho, como tal, não existe melhor alimento para o bebé. Além de em termos nutricionais estar perfeitamente adaptado às necessidades do bebé, também do ponto de vista imunológico é inigualável, protegendo a sua saúde como nenhum outro. 

O Aleitamento Materno também favorece a saúde da mãe e é, obviamente, vantajoso em termos económicos e ecológicos. 

O vínculo que se forma entre o par de amamentação Mãe/Filho é muito forte, reforçando a afectividade entre ambos, sendo muito menos provável que uma mãe que amamente, abandone ou maltrate o seu filho. Tanto a mãe como o filho saem desta experiência mais enriquecidos e com uma maior segurança e auto-estima. 

Contudo, a falta de informação e apoio prático, levam a que muitas mães, apesar de todas estas vantagens, não consigam superar as dificuldades com que se deparam no decorrer da amamentação e esta se torne, em vez de um prazer, uma situação desesperante, o que leva ao abandono precoce da amamentação. É notório que as taxas de amamentação são muito mais baixas do que seria desejável.

Eu já tinha para mim que iria amamentar, apesar de estar (ou pensa estar...) ciente de todas as dificuldades inerentes... Sim... não é só por a mama de fora e dar a criança que a coisa de dá automaticamente... Existem uma série de cuidados que a mãe tem de ter para: em primeiro lugar a criança ficar satisfeita e receber todos nutrientes necessários ao seu crescimento (sim que isso de haver leites melhores e piores é COMPLETAMENTE MITO, os leites são todos iguais, o que pode haver é uma boa pega e uma má pega o que resulta na insuficiência de nutrientes e logo numa baixa de peso); e em segundo lugar no próprio conforto (e até saúde...) da mãe, invitando os mamilos gretados e as mastites.

Estou mais confiante, e com o apoio do pai (que é 100% a favor da amamentação e de todos os seus benefícios...) tenho para mim que com alguma (muita) paciência e empenho a coisa se vai dar se grandes problemas....

Credits babycenter.com

2 de setembro de 2013

Vista Alegre...

Neste fim de semana demos um passei pela nossa nossa Vista Alegre (digo nossa, porque fica aqui na nossa cidade vizinha, e de Aveiro lá é um instantinho mesmo...). Apesar de já termos ido ao Museu de uma outra vez, estava à espera de espreitar a capela, que ainda não tive oportunidade de ver e dizem que é lindíssima.


Fundada em 1824, a Fábrica de Porcelana da Vista Alegre foi a primeira unidade industrial dedicada à produção da porcelana em Portugal, fundada por um proprietário agrícola - José Ferreira Pinto Basto. Em 1812, começou por adquirir a Quinta da Ermida, perto da vila de Ílhavo e à beira da Ria de Aveiro e em 1816 comprou, em hasta pública, a Capela da Vista Alegre e terrenos envolventes, tendo aí instalado a Fábrica da Vista Alegre.


Em 1824, José Ferreira Pinto Basto apresentou uma petição ao Rei D. João VI para “erigir para estabelecimento de todos os seus filhos, com igual interesse, uma grande fábrica de louça, porcelana, vidraria e processos chímicos na sua Quinta chamada da Vista-Alegre da Ermida”. Em Alvará Régio de 1 de Julho de 1824 D. João VI autorizou o estabelecimento da Fábrica de Porcelana da Vista Alegre e apenas cinco anos depois, a Vista Alegre recebeu o título de Real Fábrica, um reconhecimento pela sua arte e sucesso industrial.

Quando puderem façam um visitinha...

1 de setembro de 2013

Motherhood for Dummies...



Sabem o que era de valor, sabem?


A grávidas deviam de ter desconto no papel higiénico!


São ridículas as vezes que vou à
casa de banho fazer meia dúzia de pingas...