Translate...

31 de julho de 2012

Rome, part I...

2 anos de casamento;
10 anos de nós;
30 anos de mim...
O mote estava dado... partida... rumo a Roma.
Roma é a capital da Itália, conhecida internacionalmente como A Cidade Eterna pela sua história milenar, Roma espalha-se pelas margens do rio Tibre, compreendendo o seu centro histórico com as suas sete colinas... Segundo o mito romano, a cidade foi fundada por volta do ano 753 a.C. por Rómulo e Remo, dois irmãos criados por uma loba, que são actualmente símbolos da cidade. Desde então tornou-se no centro da Roma Antiga e, mais tarde, dos Estados Pontifícios, Reino de Itália e por fim, da República Italiana.


Dia 1
Acordamos cedo... Um calor que não se podia... 
Como ficamos mais de três dias e pretendíamos visitar museus e sítios arqueológicos, para além de usar os transportes públicos, optamos por adquirir o Roma Pass. Cartão em punho, primeiro passo... o grandioso Colosseum.





O Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano ou Flávio, é um anfiteatro construído no período da Roma Antiga. Deve seu nome à expressão latina Colosseum devido à estátua colossal do imperador romano Nero, que ficava perto da edificação. Foi construído a leste do Fórum Romano e demorou entre oito a dez anos a ser construído. Actualmente é uma das maiores atrações turísticas em Roma e em 7 de Julho de 2007 foi eleita umas das "Sete maravilhas do mundo moderno". Seguimos para o monte Palatino passando no Arco de Constantino.


O Palatino é uma das sete colinas de Roma. Tem 70 m de altura e nas suas encostas foram construídos, de um lado, o Fórum Romano, e do outro, o Circo Máximo. O local é hoje um grande museu ao ar livre, visitado durante o dia. No século III a.C. foram construídos os templos de Júpiter, de Vitória e da Magna Mater, enquanto que no último período Republicano foram construídas muitas habitações patrícias. É nesta colina que se encontravam outrora, agora em ruínas, os palácios de César Augusto, Tibério e Domiciano.


Seguimos para o também grandioso Fórum Romano, em latim Forum Romanum, era o principal centro comercial da Roma Imperial. Ali havia lojas, praças de mercado e de reunião. Actualmente é famoso pelas suas estruturas arqueológicas, demonstrando claramente o uso de espaços urbanos durante a Idade Romana. O Fórum Romano inclui vários templos, basílicas, arcos e outras ruínas antigas, bem como um caminho de procissão, a Via Sacra, que cruza o Fórum, ligando-o com o Coliseu.


Almoçamos numa das muitas roulotes Bibites, que existem espalhadas por Roma. Um belo dum Panini di Prosciutto e um belo dum Gelato... Hummmmmmmmmmmm... E com o calor que estava, fomos bebendo litros e litros de água (sobre isto podem ler o post do meu Bruno...).



Seguimos depois para a Piazza Venezia e visitamos o Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II. É um monumento em honra a Vítor Emanuel II da Itália, o primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana. Foi projetado por Giuseppe Sacconi em 1885, inaugurado em 1911 e completado em 1935. A base do monumento abriga o Museu da Unificação Italiana. Em 2007, um elevador panorâmico foi instalado, permitindo aos visitantes ter uma visão 360° de Roma.


Seguimos depois para as Termas di Caracalla. Foram construídas entre 212 e 217, durante o governo do imperador romano Caracalla, e são um perfeito exemplo das grandes termas imperiais. Grande parte de sua estrutura ainda se encontra conservada, sem a interferência de edifícios modernos.



Próxima paragem Circo Máximo... Acho que estava à espera de mais... Não o achei nada de máximo... mas enfim... Já lá vai o seu tempo... O Circo Máximo, em latim Circus Maximus, foi uma arena antiga e local de entretenimento na antiga Roma. Hoje em dia restam algumas (pouquíssimas...) ruínas da sua estrutura, e a área descampada que era ocupada por sua extensão é utilizada pelos romanos como uma área de lazer ao ar livre.



Já de rastos, LITERALMENTE, ainda arranjamos umas forças para ir visitar ali mesmo ao lado a Bocca della Verità (Boca da Verdade). É uma máscara antiga em mármore pavonazzetto, que se encontra numa parede do vestíbulo da Igreja de Santa Maria em Cosmedin de Roma desde 1632. A partir das Idade Média, começou o rumor de que quem disse-se uma mentira com a mão na boca da escultura, seria mordido... Nós escapamos... A esta igreja também se diz ser o lar de supostas relíquias de São Valentim.

30 de julho de 2012

Inspiration...

Sand dollars, photographed by Rachel Gourley.

Framing...

Mais um acrescento cá por casa...
... porque as coisas boas da vida são para recordar...

1. Cathédrale Notre-Dame de Chartres 
2. Férias no México
3. Data do nosso casamento em escrita Maia
4. Férias no México
5. Férias no México

25 de julho de 2012

Two years ago...

Há dois anos foi assim...
Acordei cedo, e fui-me por bonita... A madrinha vestiu-me o vestido... e foi uma trabalheira com os botões...   Dizia ela: "Se agora é assim mais logo o Bruno vai-se ver tramado..." Calcei saltos (não muito altos...) e rumamos na coche branco para junto do príncipe...
Foi um dia lindo... Foi um dia mágico...


Dois anos passados, com muitas aventuras e desventuras (que a vida não tem só rosas, mas também tem cardos...), estamos juntos, num país que não é o nosso, longe da família e dos amigos... Não é fácil... mas estamos juntos...

Porque juntos somos um... e porque...
Há coisas que acontecem e que valem por serem mais do que as palavras...

23 de julho de 2012

Katwijk and Noordwijk...

Depois de quase umas duas semanas de ausência de sol, eis que parece que o Verão (vulgo Sol e não calor...) chegou aos Países Baixos... Nada como um domingo solarengo para partir à descoberta deste país. Desta decidimos rumar às praias...

Primeira paragem Katwijk aan Zee (literalmente, Katwijk-on-Sea). É uma estância balnear situada no mar do Norte, na foz do Oude Rijn. O nome Katwijk tem provavelmente as suas origens no nome de uma tribo germânica chamada Chatten (Chatti). A palavra holandesa Wijk significa "área", por isso o nome provavelmente significava algo como "a área Chatti".


Durante a Segunda Guerra Mundial, a maioria dos edifícios de Katwijk aan Zee foram demolidos pelos alemães para abrir caminho para a Muralha do Atlântico. Nas dunas a sul de Katwijk, podem ainda ser encontrados muitos bunkers da Segunda Guerra Mundial. A avenida marginal ao longo da costa - Boulevard - não é mimada por grandes hotéis ou blocos de apartamentos nem por comercio excessivo. Ainda que a maioria dos edifícios que revestem a avenida sejam apartamentos turísticos e pensões, a maioria tem apenas apenas três andares de altura (e ninguém tem mais do que 5), oferecendo um cenário típico da década de 1950.


Seguimos depois para Noordwijk aan Zee. Noordwijk, antes podia ser escrito como: Northgo, Norwige, Nortic, Northge e Northeke, é uma vila da província da Holanda do Sul. Noordwijk aan Zee foi fundada por volta de 1200 como uma vila de pescadores. Até o início do século XIX, a pesca permaneceu como o seu negócio principal, começando depois a ser substituída pela crescente indústria do turismo. Hoje em dia por causa de suas longas praias de areia, é uma das estâncias turísticas mais populares da Holanda com mais de 1.000.000 dormidas por ano. Noordwijk aan Zee é classificado como o 12º local mais rico na Holanda.


As 19:00 ainda estavam 20ºC... Não havia vento...
Portanto... Uma tarde mais que perfeita ;)

Inspiration...

Page Round Coasters, photographed by Johnnie. Seen on Pinterest.

19 de julho de 2012

News from...

Bem... Notícias da minha amada horta...
Ora que os Coentros que foram os primeiros a saltar cá para fora, foram ao ar... Não resistiram às nossas férias (ainda esperei por um milagres...) e quando chegamos estavam mesmo mortinhos... Resistiu a Salsa e o Basílico, que estão mais lindos de dia para dia e já são usados nos nossos cozinhados ;)

Tenho que arranjar mais um vaso e por mais umas ervas...

Vondelpark Openluchttheater...

No Domingo passado fomos até ao Vondelpark Open Air Theatre. Para quem está por estas bandas, de 3 de Junho a de 2 Setembro, o Vondelpark Open Air Theatre apresenta um programa de três meses repleto de dança, cabaret, jazz, teatro infantil, stand-up comedy e todos os géneros de música.

A ideia veio do Gerben da Salsinha, de ir ver o português Fernando Lameirinhas, já quase holandês de há tantos anos que por aqui está. Foi uma tarde muito bem passada, cheia de música e sons de Portugal e até o Yofi gostou ;)


Para mais informações e lista completa, consulte o site Vondelpark Open Air Theatre.

11 de julho de 2012

This week...

... daisy's week ;)

Bibelot...

Novas aquisições cá por casa...
BIBELOT (Do francês bibelot)
nome masculino
1. qualquer pequeno objecto que se usa geralmente sobre uma peça de mobiliário como adorno; 2. objeto inútil ou de pouco valor.

1. De Utrecht, oferta no Daniel, aquando da sua estadia por cá
2. Um saleiro e pimenteiro bem originais, oferta da minha Claudete;
3. E um lagarto que compramos nas nossas férias pelo México.

10 de julho de 2012

Rambouillet, Chartres and Moules-frites...

Fim de semana em França... que isto de ter os sogros em Paris é "chique" e de Amesterdão a Paris é um instantinho... Desta vez aproveitamos o Domingo (nada soalheiro e com alguns chuviscos...) para ver visitar algumas vilas da "redondezas"...

Começamos com um almoço à moda belga no Leon de Bruxelles com as suas Moules-frites. Ora que havia Moules-frites para todas os gostos, por isso todos comemos Moules-frites, mas todos pratos diferentes (haja fartura...)...

1. Cervejinha belga, pois claro...; 2. La plancha aux fruits de la Mer; 3. Les moules à l'escargot gratinées;
4. Moules à l'Ardennaise; 6. Moules à la Marinière


Seguimos então para o passeio já de barriguinha cheia...
Depois de uma passagem rápida pela vila de Versalhes, seguimos para Rambouillet, uma pequena vila francesa situada no departamento de Yvelines na região de Île-de-France. O interesse era ver o Château de Rambouilletum palácio francês, antiga residência Real e actualmente residência presidencial desde 1896.


Seguimos depois para Chartres...
Chartres é uma vila francesa no departamento Eure-et-Loir, sendo que o seu monumento mais importante e mais visitado é a Cathédrale Notre-Dame de Chartres. A sua construção foi iniciada em 1145 e marca o ínicio da Arte Gótica na França.


O edifício original construído por Fulbert incendiou-se em 1194 e imediatamente se iniciaram as obras de reconstrução, que se prolongariam durante mais 60 anos. O acrescento mais importante é a torre noroeste, dita Clocher Neuf, concluída no ano 1513 para equilibrar a composição imposta pela primeira torre. O interior impressiona tanto pelos 37 m de altura que alcança a nave central como pela harmonia e elegantes proporções, embora infelizmente já se tenha perdido a maioria da estatuária original (o retábulo da crucificação foi demolido no século XVIII...).


A fachada ocidental, chamada Pórtico Real, é especialmente importante graças a uma série de esculturas de meados do século XII... No total, o edifício conta com mais de 150 janelas medievais com vitrais, a maioria delas do século XIII, que proporcionam um magnífico efeito luminoso ao interior do templo.


A catedral foi acrescentada à lista da UNESCO como Património Mundial em 1979.
Na última década, a catedral tem tido um programa quase contínuo de limpeza e restauração. Nos últimos anos iniciou-se um grande projecto para limpar todas as abóbadas de pedra do coro e da nave e repintar-los... prevê-se que em 2014 as obras estejam concluídas...
Depois havemos de lá voltar...