Translate...

30 de abril de 2013

Week 16...

A semana começou em Portugal com a consulta das 16 semanas na nossa U.S.F. (Unidade de Saúde Familiar). A nossa enfermeira de família estava de férias e deixou-nos ao cuidado da enf. S. Não podíamos ter ficado em melhores mãos, nem mais satisfeitos. A enf. S é especialista em saúde materna e respondeu prontamente a todas as minhas dúvidas e a todos os meus anseios. 

Afinal o peso que tinha na consulta no Hospital confirma-se (eu estava desconfiado porque foi tirado numa daquelas balanças antigas), estou mesmo mais magra. Tenho cá para mim que vou levar com estes kilos todos e mais alguns no fim da gravidez, e ser uma verdadeira baleia a arrastar-me... mas... pode ser que não... pode ser... 

Pois... mais isto de estar mais magra não quer dizer que não tenha uma bela duma pança (não me perguntem para onde foi a comida que eu não faço a mínima...) e já não há roupinha que me sirva, pelo menos nas calças de ganga. O que vale e que nas férias da Páscoa, já estava a começar a sofrer deste mal e tratei de me abastecer. Não estou com vontade nenhuma de gastar rios de dinheiro em roupa que vou só usar meia dúzia de meses e por isso só comprei 3 pares de calças e 2 soutiens (que os que tenho também já me estou a ficar apertados para mal dos meus pecados...). 

Não tenho teorias de moda, quem me conhece sabe que sou pessoa que não ligas nenhuma a isso, com um simples par de calças de ganga, uma tshirt e umas sapatilhas sou muito, muito feliz, mas o que mais me tira do sério é o raio da moda das calças justas até aos tornozelos. É que convínhamos, por mais que seja um modelo que favorece algumas mocinhas (as magras, obviamente), as mais cheias, ou vá ... gordas, ou grávidas não assentam bem, nem pouco mais ou menos, e na minha mera opinião, nem sequer são confortáveis. Foi então uma luta arranjar um modelo com o qual me sentisse bem, mas acabei por me desenrascar entre a H&M, C&A e  Pré-Natal.
Aproveitei ainda a estadia em Pt e a santa paciência da minha prima Rita para comprar a vestimenta para o casamento da Alexandra e do Telesfero. Prova superada lá me arrastei para casa, e com temperaturas perto dos 20º (sendo que acho que o meu corpinho já nem reconhece estas temperaturas...) cheguei a arrastar-me, a arfar, e com os pés super inchados... Já ouvi dizer que o Verão para as grávidas tem destas coisas, mas a ver vamos...

No fim de semana foi outra vez de musiquinha e de amigos com o FITUA (e sim gosto de tunas, nada a fazer...). O feijão portou-se bem, deve gostar de boa música (porque sim senhores, há má música no mundo das tunas, mas também há muito boa música) e não deu azia à mãe.

Ainda cheguei a Amesterdão a tempo da festa do Dia da Rainha (ver aqui). O dia estava agradável (o que por aqui nem é normal...) e aproveitamos para ir ver as tulipas este ano. Campos e campos de tulipas, jacintos e narcisos... As cores mais lindas, os cheiros pelo ar e um dia de sol lindo, lindo lindo... Acabamos o dia na praia... porque o meu homem tinha desejos de gelado!

Credits babycenter.com

23 de abril de 2013

Week 15...

Tenho para mim que vim mais cansada das nossas férias em portugal do que o que fui... Mas soube tão bem... O nosso solinho, a nossa comida, os nossos amigos, a nossa família... enfim... o nosso Portugal!

O pior mal de todas as férias é a roupa... senhores... A roupa para lavar que se acumula e estas dores das costas que não me deixam fazer as coisas como fazia antes, e o que eu passava a ferro numa tarde, agora demora três dias... Enfim... Dizem que estes pequenos contratempos fazem parte deste estado de graça, mas eu bem que dispensava!

Ora que no domingo realizou-se a tradicional parada das flores em Haarlem, ou como por aqui se diz a Bloemencorso, e nós aproveitamos o solinho para ir passear a minha linda pança (ver aqui). A semana passou sem grandes sobressaltos, mas com muita azia! Teoricamente já devia ter engordado entre 2 e os 5 kg (mas segundo a última pesagem, apesar de não ter vomitado e perdi peso e não ganhei), o feijão não pesará mais que 70 gramas. Really?!?! Então mas se este sacanita só pesa isto, para onde que raio é que vai quilo que eu como?

Credits babycenter.com

19 de abril de 2013

My place...


Sever do Vouga, teus arredores
Cheios de flores não têm tristeza.
Sever do Vouga, tuas canções
São orações que o Vouga reza.

A minha terra fica na serra
Fica na serra mais linda de Portugal.
Que maravilha, quando o sol brilha,
Ver minha terra lá da serra do Arestal.


Quando o luar prateia a serra,
Na minha terra ai que beleza!
Ouvir cantar ao por do sol,
O rouxinol pela devesa.

As tuas fontes tão soluçantes,
São como amantes a suspirar.
Água das fontes dá-se a quem passa,
Dá-se de graça, dá-se a cantar.

A nossa igreja airosa e bela,
É uma estrela do viajor.
A torre alveja numa colina,
Que ilumina com resplendor

Letra: Eugénio Ribeiro e Silva, Música: César de Figueiredo Bastos
Composta no ano de 1935 

16 de abril de 2013

Week 14...

Depois de uns ricos dias no Algarve (que sol maravilhoso...) é hora de preparar as mala para a viagem, fazer as ultimas compras, ver mais uns amigos e "partir naquela estrada" (é que me lembro sempre do raio da música do Clemente na hora de fazer as malas...).

Estou cansada, sinto o corpo cansado... É incrível como o corpo de uma mulher se transforma. Já tinha o peito grande mas agora tenho a ideia que cada uma das minhas maminhas pesa cinco toneladas. E o sono??? Credo... às vezes parece que uma mosca tsé-tsé me mordeu várias vezes. Mal acabo as refeições (principalmente na hora de almoço)  começo a bocejar de uma maneira tal que muitas vezes até me doí as pálpebras de tentar manter os olhos abertos. Se sempre gostei de dormir uma bela siesta, agora até tenho uma desculpa, ihihihihihihih....

A viagem de volta a Amesterdão foi cansativa, mas acho que não tão má como a viajem para Portugal. Só mesmo as costas é que dão cabo de mim... mesmo!!! Teoricamente o nosso feijão (nome pelo qual carinhosamente o tratamos) já consegue fazer os movimentos de agarrar, franzir as sobrancelhas, de fazer caretas (se sais ao pai estás bem tramado porque eu já as conheço todas...) e ficar vesgo. Pode ate já saber chupar o dedo. Os entendidos na matéria acreditam que estes e outros movimentos correspondam ao desenvolvimento de impulsos no cérebro (e o nosso feijão vai ser tão, tão inteligente...).

Credits babycenter.com

9 de abril de 2013

Week 13...

Esta semana foi esperada com muita ansiedade e muita expectativa. Para além de termos ido passar a Páscoa ao nosso Portugal, foi a semana da 1.º ecografia, onde pela primeira vez íamos ver o nosso feijãozinho. Ora que há horinha marcada lá estávamos nós no hospital... e esperamos... esperamos... esperamos... até eu começar a desesperar!

Quase 2h depois fui atendida. A consulta não correu pelo melhor, a médica não estava de bom humor... Mais tarde acabei por saber que havia uma médica (a que teoricamente seria a minha médica inicial) que tinha tirado férias e por isso esta tinha, à última da hora, ficado com todas as suas pacientes e por isso estava assoberbada de trabalho. Eu percebo a situação, claro, só não acho correcto nem justo a forma fria e pouco profissional com que nos tratou. No fim, só soubemos que estava tudo bem, porque a médica não disse nada (e segundo o meu homem, se ela não disse nada, é porque não havia nada de mal para dizer...) e porque lemos o relatório final. 

Fiquei triste, porque o que supostamente seria um momento mágico e feliz para nós os dois, o momento onde víamos e ouvíamos pela primeira vez o coraçãozinho do nosso feijão, foi ... desconfortável e frio. Enfim... no fim o que realmente importa é que o nosso feijão está bem e cheio de saúde (e eu estou mais magra 2 kg... ).

1.º Ecografia - 13 semanas
Ainda aproveitamos o solzinho, e no fim de semana rumamos ao Algarve, as musiquinhas e os amigos que de quem tínhamos muitas saudades, estavam à nossa espera. O nosso feijão estreou-se no seu primeiro festival de tunas - XV Fartuna. Portou-se bem e deu pouco trabalho, o que basicamente quer dizer que me deu pouca azia (que me tem assolao os últimos dias...), mas o corpo esse já não aguenta as noitadas como antes (muito culpa das minhas costas...).

Às tantas ainda me lembrei que durante os próximos três anos (devido à politica de alguns teatros / salas de espectáculos) não vou puder ver tunas! Partilhei este meu pensamento com o meu homem que logo me disse: Não te preocupes. Podes vir sim que eu fico cá fora com o feijão que não me importo nada. Seguindo-se ainda com esta relíquia: Ui... com um puto num carrinho vai ser só sacar gajas... Tão romântico e fofinho o meu marido!

2 de abril de 2013

The first few weeks...

As primeiras semanas foram de descoberta, de alegria e de dúvidas... Éramos 2 e num futuro próximo seriamos 3... um feijão vinha a caminho.

Acho que não nos me caiu a ficha automaticamente... A verdade é que não me senti logo grávida... acho que  facto de não ter tido quase nenhuns sintomas de gravidez (nem enjoos, nem vómitos, nem nada que se parecesse...) e de não sentir o nosso pequeno feijão dentro de mim ajudou a retardar este estado em mim. 

Credits babycenter.com
A ânsia de chegar às 13 semanas e fazer a primeira ecografia era enorme...
Estará tudo bem?
O feijão está mesmo lá? 

Zwanger…

… foi a palavra holandesa que aprendemos no dia 18 de Fevereiro de 2013

Ora que já desconfiávamos, mas para termos mesmo mesmo a certeza, no Domingo fizemos uma excursão ao aeroporto (really?!?!?… ao aeroporto?!?!  ... pois que era o local mais perto de casa e com lojas aberto ao domingo) a fim de comprar o famoso teste. Seguiu-se um nervoso miudinho miudinho, e desconfio que algum de nós tenha dormido bem naquela noite com a ansiedade de descobrir o que o famoso “pauzinho azul” nos diria pela manhãzinha.

O homem acordou cedo e foi fazer elíptica, eu acordei pouco depois e tal era a ansiedade que não quis esperar e lá fui com o “pauzinho azul” para o WC. Claro que na noite anterior foi a aventura do descortinar das instruções em holandês (abençoada internet que lá consegui encontrar o manual em português…) e de descobrir qual a melhor hora para fazer o teste. Acabado o exercício matinal, lá fomos os dois espreitar o resultado do “pauzinho azul”: Zwanger 3+ que é como quem diz, grávida de mais de 3 semanas!


Ele riu-se e eu sorri e abraçamo-nos os dois…
Afinal a matemática faz das suas e nem sempre 1+1=2, às vezes a magia acontece e 1+1=3.
Vamos ser três… quer dizer… três e a nossa Maggizinha!