Translate...

31 de janeiro de 2015

Iogurte de maça e canela...

Tenho a dizer que estes também ficaram aprovados...
O Bruno diz que gosta com menos açúcar, que assim servem antes como sobremesa ツ

IOGURTE DE MAÇA E CANELA
1l leite (usei gordo)
1 iogurte natural (usei grego do Lidl)

1 colher açúcar
4 a 5 maças
canela q.b.

  1. Descasque as maçãs e corte-as em pedacinhos para dentro de um tacho, junte-lhes açúcar (eu só pus uma pitada de açúcar em pó), a canela e uma colher de sopa de água e leve a ferver até fazer uma espécie de compota.
  2. Depois de cozida, distribua a maçã pelos frasquinhos da iogurteira previamente esterilizados (lavei-os na máquina e antes de deitar a mistura levei-os ao microondas 30 segundose deixe arrefecer.
  3. Aquecer ligeiramente o leite com o açúcar, se ficar muito quente o iogurte não vai coagular porque mata as bactérias (ou ferver o leite e deixar arrefecer). Juntar o iogurte e mexer bem com um batedor de varas; 
  4. Distribua pelos frascos e coloque-os na iogurteira durante 12 horas (sem tampa). Passado este tempo deixe arrefecer, coloque as tampas nos frascos e leve ao frigorífico, pelos menos 4h. 
Bon appetit!!!

28 de janeiro de 2015

We must to free the moms!



"É preciso libertar as mães das teorias. É preciso libertar as mães das tabelas com horas. Das aplicações de telemóvel que apitam a avisar que é hora do bebé comer. Ou de mudar a fralda. Ou de dormir. É preciso libertar as mães dos palpites e conselhos que as fragilizam. Dos “especialistas” e seus métodos “infalíveis”. De todos aqueles que paternalisticamente lhes dizem, ainda que mais ou menos subtilmente, que estão a fazer tudo mal.
É preciso libertar as mães da pressão de que têm que saber logo tudo. Ou que têm que acertar à primeira..."


Este texto é qual quer coisa de espectacular...

Somos de facto (e eu contra mim falo...) as mães do google e dos blogs, dos livros, das teorias..., dos grupos do facebook e do whatsapp, do pediatra X e do guro Y... Como que raio é que se fazia antigamente sem acesso à Internet e a todo este mundo de excesso de informação??? 

Talvez o que seja realmente importante é ouvir de facto o nosso coração mãe e o nosso bebé... Não há criança igual a outra, dizem as mães de mais que um, que nenhum filho é igual a outro... Então para quê continuar com as comparações?!?!?!

25 de janeiro de 2015

4.52 | 2015

A portrait of my child, once a week, every week, in 2015
4 | 2015
Foi só um susto, meu pequeno Batman... Mas um susto que deu direito a uma noite no hospital, um susto que nos parou o coração... Não faças isso à mãe e ao pai outra vez, sim??? 

18 de janeiro de 2015

3.52 | 2015

A portrait of my child, once a week, every week, in 2015
3 | 2015
Fomos ao Mauritshuis... Apesar de estar cheio de sono, não querer andar no carrinho, e só querer colo, acho que se portou muito bem! Fartou-se de apontar, e fazer uns Ohhhsss e uns Uuuuhhhhssss, eu ia-lhe dizendo Olha é um menino, ou É o Jesus, ou Uma vaca... Já fez 15 meses... 15 meses... O menino está tão grande ツ

Christmas lights...

Yep... ainda fotos do Natal!!!

Vimos um artigo algures (acho que no Dutch News) e aproveitando que os avós estavam por cá, resolvemos dar um pulinho a Den Ilp (vila a Norte de Amesterdão, cerca de 20 minutos de carro) , para ver as famosas decorações de Natal.

Procurei informações, mas não consegui encontrar de quando começou esta iniciativa, mas parece que desde à muitos anos, os moradores desta vila iluminam com grande afinco os seus jardins e as suas casa por altura do Natal. Ao que parece até existem excursões organizadas para ver as luzes e até um concurso da melhor iluminação.

Foi giro... Aqui ficam algumas das fotos (tiradas de dentro do carro, que estava um frio do caraças!)...

17 de janeiro de 2015

Christmas market: the last of 2014...

Para terminar a ronda dos Mercados de Natal (keukenhof e westerpark), demos um pulinho à Rembramplein. Um mercado pequenino, mas muito acolhedor. A iluminação à noite é lindíssima, apesar do frio que se fazia sentir. De entre cerca de 30 barraquinhas, de vários países, podíamos encontrar desde as famosas salsichas alemãs, à stroopwafels holandesas, as máscaras de Veneza, o queijo francês... e mais uma série de delicatessen e artesanato...

Eu saí de lá com o meu primeiro pretzel (pão tradicional alemão, em forma de nó, seco, estaladiço, habitualmente assado e salgado)... bem... afinal tanto alarido só por causa de pão! 

16 de janeiro de 2015

Yogurts...

Mais uma promoção que apareceu por cá, e depois de parlamentar com o senhor meu marido, lá compramos uma iogurteira. Acho que os primeiros saíram 5 estrelas, o mais velho gostou, o pequeno, nem por isso (mas como fui forreta no açucar e ele unca gramou iogurtes naturais já estava há espera...).

Existem mil e uma receitas na internet, é só uma questão de procurar o que nos agrada mais. Eu usei um misto de receitas que vi nas delicias e companhiacoco e baunilha e nas receitas da patanisca... e ainda tirei umas duvidas com a vizinha L. que também já se rendeu mundo dos iogurtes caseiros.

Estou entusiasmada... acho que os próximos vão ser de Maça e Canela...
Credits silvercrest

IOGURTE DE LIMÃO
1l leite (usei gordo)
1 iogurte natural (usei grego do Lidl)
1/2 colher açucar
casca de 1/2 limão

  1. Aquecer ligeiramente o leite com a casca do limão e o açúcar, se ficar muito quente o iogurte não vai coagular porque mata as bactérias (ou ferver o leite e deixar arrefecer);
  2. Juntar o iogurte e mexer bem (eu usei a varinha mágica, mas fez muita espuma, da próxima uso um batedor de varas);
  3. Distribua pelos frascos previamente esterilizados (lavei-os na máquina e antes de deitar a mistura levei-os ao microondas 30 segundos)  e coloque-os na iogurteira durante 12 horas (sem tampa);
  4. Passado este tempo deixe arrefecer, coloque as tampas nos frascos e leve ao frigorífico, pelos menos 4h.
Bon appetit!!!

14 de janeiro de 2015

Little Things VIII...

CASTELO (Do latim castellu-, «idem»)
nome masculino
1. construção em lugar elevado, com muralhas e torres, destinada à defesa de uma posição estratégica; fortaleza; praça-forte; 2. residência senhorial fortificada; 3. parte mais alta do convés do navio; 4. figurado acumulação, amontoado; 5. pessoa ou coisa muito alta.
Por norma vejo ao Domingo na Internet as promoções da semana nas lojas aqui perto, ou espero para ver no correio na segunda-feira. Esta semana dei-me com uma promoção no ALDI e fiquei, como se costuma dizer na minha terra, de orelha aguiada...

Hoje lá fui em busca da tal promoção, ainda sem saber bem , se a iria comprar ou não, se não ia ser mais um mono na nossa sala... enfim... Ora que cheguei lá e não resisti. 11.99€ por um castelo, que mais não são que um pronuncio para uma série de aventuras e brincadeiras... Então porque não?

O meu príncipe agora tem um castelo (a Maggie também já se apoderou do terreno, pois claro!)... e foi delicioso vê-lo a descobrir quando chegou a casa da escolinha com o pai... Acho que foi um bom investimento!

1. Foto do telemóvel do pai
2. ALDI

I have so much to do...

Credits bobsmade

11 de janeiro de 2015

2.52 | 2015

A portrait of my child, once a week, every week, in 2015
2 | 2015
Pela atenção devia de ser o Frozen... Está tão crescido, o meu bebé menino...

8 de janeiro de 2015

The best of my day VII...


Mas que tarde boa...

A chuva lá fora a cair, o chá a fumegar na chávena, o salame de chocolate da Ana, as bolachinhas de manteiga, os pasteis de nata... Os sorrisos, os mimos, os afectos.

Que bom poder estar assim, como se estivesse em casa! 


Obrigada Ângela!

7 de janeiro de 2015

Je suis Charlie...

O golpe terrorista de 7 de Janeiro às instalações da revista Charlie Hebdo, em Paris, é um ataque criminoso e homicida - e é um ataque às liberdades de todos os cidadãos. O Expresso solidariza-se com o Charlie Hebdo e junta-se àqueles que lamentam as mortes de Paris e que prestam condolências às famílias dos que foram brutalmente assassinados. Atacar a liberdade de imprensa e a liberdade de expressão não é apenas querer amedrontar os que, pela sátira e pela informação, revelam e confrontam as violências do mundo em que vivemos. Mataram jornalistas porque nos querem calar a todos. Teriam de nos matar a todos para que o medo vencesse. Não o conseguirão, nem que nos calemos perante eles nem que reajamos como eles. Nós somos o Charlie Hebdo. Nós jornalistas. Nós leitores. Nós todos. 

Procrastinate...

PROCRASTINAR (Do latim procrastināre, «idem»)
verbo transitivo e intransitivo
transferir para um momento futuro; adiar; protrair; protelar
In Infopédia
Credits keepcalm

Rear-facing...

Confesso que não percebia nada de cadeiras-auto, ovos ou afins... No nosso curso de preparação para o parto tivemos uma técnica de saúde ambiental que nos alertou para o facto de ser mais seguro as crianças viajarem no no sentido contrário à marcha. Mas a senhora disse mesmo o quê? Ora agora vou por o puto virado para trás para não o ver? Como que raio é que isso pode ser melhor?

Tendo em conta o que se vê na grande maioria dos carros em Portugal, os bebés depois de saírem do ovo passam a andar logo no sentido da marcha. O meu Bruno já estava a par destas informações, mas eu tive que ir investigar...Pois é mesmo verdade, e a grande maioria das pessoas anda enganada e a proceder erradamente... Talvez por falta de informação ou conhecimento, ou até mesmo pela falha na lei que o permite. Contudo, no ano passado saiu uma nova alteração à legislação referente ao transporte de crianças no automóvel, exigindo que a partir de então os bebés até aos 15 meses sejam transportados no sentido contrário à marcha, ou seja, de costas voltadas para a estrada.

Depois de investigar a fundo (o vídeo é assustador...), verifiquei que várias organizações e estudos aconselham as crianças até aos 4 anos (apenas com aproximadamente 4 anos de idade, a relação entre o tamanho da cabeça e o resto do corpo se equilibra. Nesta fase, os músculos do pescoço desenvolvem-se o suficiente para suportar mais pressão e forças exteriores) a viajar sentadas na cadeira no sentido inverso ao da marcha, incluindo a Direcção-Geral da Saúde (segundo Orientação n.º 001/2010, de 16 de Setembro de 2010).
"Viajar com uma criança no sentido inverso à marcha reduz a probabilidade de lesões e ferimentos em caso de acidente, melhorando consideravelmente a segurança da criança."
in A Segurança responsável - ACP

6 de janeiro de 2015

Three Wise Men...

Credits Curiosidadesparafamilia
Porque hoje no meu Portugal é dia de Reis...

Santos reis, Santos coroados
Vinde ver quem vos coroou
Foi a Virgem mãe sagrada
Quando por aqui passou.
O caminho era torto
Uma estrela vos guiou
Em cima de uma cabana
Essa estrela se poisou
A cabana era pequena
Não cabiam todos três
Adoraram Deus Menino
Cada um por sua vez.

Little Things VII...

Não gosto de comprar roupa cara para o piqueno... Acho que é um verdadeiro desperdício... Assim como assim, daqui a um ou dois meses tenho que lhe comprar roupa outra outra vez, pelo que assim sendo, e para já não vejo necessidade. 

Claro que me preocupo com a qualidade e tenho sempre em atenção se a roupa é de algodão, até porque a minha criaturinha saí ao pai e transpira como se vivêssemos nos trópicos! Quando ele nasceu ainda fomos a umas lojas mais chiques, e (aproveitar os saldos, pois claro), mas cedo me apercebi que às vezes o que é muito giro nem sempre é muito pratico (como os babygrows com 500.00 mil botões) e acabei por me render à H&M. Acho que a relação qualidade preço é muito jeitosa, tem coisas bem giras (se bem que a secção de rapaz acaba por ser mais reduzida como numa série de outras lojas) e a roupa aguenta bem as várias lavagens sem perder qualidade.

Também gosto da roupa da Zara, mas acho bem mais carota... Mas dias não são dias, e de vez em quando, para um ocasião especial, acho que não faz mal nenhum cometer um pecado no closet do pequeno. O pai escolheu as calças, e eu a camisa. Digam lá que o meu pequenote não ficou tão fofinho no seu outfit de Natal?

4 de janeiro de 2015

The 52 project...

A portrait of my child, once a week, every week, in 2015
Tenho seguido este desafio de fotografia em vários blogues que acompanho, sendo que o mesmo teve a seu princípio no fantástico blog Practising Simplicity da Jodi. Cá em casa temos a política de não publicar fotos do Sebastião em redes sociais, blogs e afins, e quando o fazemos (salvo raras excepções) rasuramos a cara, ou ele está de costas, ou a cara não é perceptível... A verdade é que como lhe vamos tirando tantas fotografias imagino que não deverá ser difícil encaixá-las neste desafio, a ver vamos! 

"Uma fotografia do meu filho, por semana, todas as semanas de 2015"

1 | 2015
Durante o almoço de ano novo, rodeado de mimos e afectos, aqui com a pequena Lia e a tia Ana.

Christmas Memories II...

Olhem lá que lindinhos...

1 de janeiro de 2015

Love make a family...

Ás vezes estamos longe de Portugal e custa... no início custou muito, com o tempo foi custando menos... agora, confesso, não custa! Esta é a nossa casa, a casa onde o Sebastião está a crescer, onde o Sebastião começou a gatinhar, onde o Sebastião começou a andar, onde o Sebastião começou a falar... a casa onde estamos a construir a nossa família. Estamos os três (alto... os três e a nossa Maggizinha) e estamos bem...

Mas depois chega o Natal, e com ele a saudade! Não das prendas, nem da doideira desenfreada da corridas aos shoppings, às compras, mas da família... dos mimos, dos braços... no Natal custa... este Natal custou mais, por alguma razão custou mais...

Os meus sogros vieram, e o meu cunhado também. Tivemos bacalhau com couves e roupa velha... Faltou os sonhos da Avó Silvina, a aletria da Avó Amélia... e um abraço do meu irmão! Foi uma semana de casa cheia, de muitos sorrisos e abraços, muitas voltinhas pelo parque com o neto, muitas risadas com o tio... Foi uma semana boa... Foi uma semana de Amor.

Hoje tivemos a casa cheia outra vez, de amigos... amigos do peito, amigos que nos fazem canja quando estamos doentes, amigos que nos percebem e compreendem... família, a nossa família holandesa (de portugueses do Algarve e da Madeira, e um holandês com o coração cheio de Portugal)! 

Há uns dois anos passamos passagem de ano juntos, sem príncipes nem princesas (quer dizer... a Maria já por ali andava e ainda não se sabia). Começamos assim o nosso primeiro dia do ano, numa mesa cheia de mimos e abraços, num verdadeiro almoço de família. Os miúdos brincam no chão, eles falam de telefones e tecnologias, elas falam de sestas, papas e cocós! Tardes boas... tardes em família... Afinal não custou tanto... porque no fundo, é o amor que faz uma família...estamos bem assim! 

Bom ano meus amigos, que seja um ano cheio de saúde, paz e amor...