Translate...

28 de maio de 2013

Inside Lazio, part I...

Partimos mais uma vez rumo a Roma, desta vez a pretexto do matrimonio da Alexandra e do Telesforo. Claro que aproveitamos e esticamos mais dois dias para poder aproveitar Roma, mas desta vez como alugamos carro, decidimos conhecer um pouca mais da região Lázio. A meteorologia prevista não era a melhor, mas ficamos a rezar ao São Pedro, que acabou por nos abençoar com uns dias lindos de sol ;)

O Lázio, em italiano Lazio, é uma região da Itália central com cinco milhões de habitantes e cerca de 17.200 km² , cuja capital é Roma. Originalmente de nome Latium, remete para os povos latinos, povo descendente dos romanos e cujo idioma, o latim, se tornou a língua oficial do Império Romano, tendo sido amplamente difundido nos territórios sob o seu domínio.

A caminho de Ostia Antica
Dia 1
O sol brilhava lá fora e estavam uns bons 18/19º... Perfeito!
Primeira paragem Ostia Antica. Sob o poder dos romanos, Ostia tornou-se numa enorme cidade costeira, atingindo um pico de cerca de 75 mil habitantes no II e III século d.C. Já no fim do séc. III d.c. Ostia torna-se sede episcopal, com a construção da Basilica di Sant'Aurea, erguido sobre o túmulo da mesma. Como o passar dos séculos, Ostia caiu em ruínas, e só no séc. XV, o bispo Giuliano della Rovere (mais tarde Papa Júlio II) foi encomendada a reconstrução da igreja (sob a direcção do arquitecto Baccio Pontelli) e a construção do Castello di Giulio II. O castelo foi abandonado depois de uma enchente em 1587, inundando o seu fosso e transformando a área circundante em um pântano.

Castello di Giulio II
Nada como viajar com estilo... 
You wish!!!
Seguimos para Cerveteri, uma cidade a norte da Lázio, originalmente conhecida do etrusco por Cisra e do grego por Άγυλλα. Cerveteri é conhecida pela sua necrópole etrusca Necropoli della Banditaccia, declarada Património da Humanidade pela UNESCO em 2004. A necrópole abrange uma área de mais de 400 ha, dos quais apenas 10 podem ser visitados, abrangendo um total de 1.000 túmulos muitas vezes alojados em montes característicos, é considerada até hoje a maior necrópole antiga na área do Mediterrâneo.

Necropoli della Banditaccia
Oh mor, olha lá, até aprecem apartamentos...
O estômago começava a dar horas e decidimos parar em Bracciano, uma pequena cidade famosa pelo seu lago vulcânico, Lago di Bracciano (originalmente chamado de Lago Sabatino), considerado o oitavo maior lago da Itália e pelo seu particularmente bem preservado Castello Orsini-Odescalchi. Almoçamos no Ristorantino del Castello e acho que as fotos falam bem por si... Senhores... foi o verdadeiro manjar... e comi os melhores cogumelos da minha vida ;)

Castello Orsini-Odescalchi
Antipasti
Primo piatto
E sim... ficamos por aqui... já não cabia o segundo nem a sobremesa...
Barriguinha cheia, e depois de uma curta paragem junto ao lago, seguindo depois por uma estrada nacional junto ao mesmo rumo a Trevignano Romano, uma pequena cidade situada entre a costa norte do Lago Bracciano e as encostas do Monte Rocca Romana. Dali seguimos para a cidade de Anguillara, também nas margens do lago. E porque este sol o merecia, refastelamos-nos com um belo dum gelato.

Lago di Bracciano
Anguillara Sabazia
Eu vou comer, comer até me lambuzar...


E o dia não acabou aqui...
À noite ainda jantamos com a família dos noivos, mais um belo repasto à moda romana (sério... era capaz de viver em Roma, mas tenho para mim que me tornava uma bela lontra...) e, apesar de já muito cansados, não resistimos e demos um pulinho ao centro de Roma, afinal ir a Roma e não ver o papa pode ser considerado crime! 

Basilica di San Pietro in Vaticano
Colosseo
PS - Conduzir em Roma, ou melhor em Itália, é de doidos... de doidos!!! Mas sobre a condução nada como ver o relato do marido aqui.

Sem comentários: