Translate...

30 de agosto de 2016

Having your baby in the Netherlands, part III...


Nesse dia a parteira veio-me visitar à tarde. Fez-me o check-up normal e disse que não havia nada com que me preocupar... que estava tudo normal... que eu apenas devia de descansar. Mostrou algum (muito...) desagrado pela atitude da médica de família, como se ela me tivesse alarmado ou como se ela tivesse metido "foice em ceara alheia..."

Disse-lhe que não me sentia bem... que precisava de estar descansada... e que não estava, estava ansiosa. Lá me perguntou se eu me sentia melhor em ver um médico (voltando a reafirmar que não havia motivo para tal...) e eu disse que sim. Marcou-me uma consulta e passado dois dias lá fui eu, ser vista por um médico, num hospital!

A médica perguntou-me o meu historial e a razão por estar ali e depois lá me pediu para deitar na marquesa. Examinou-me e depois perguntou se eu podia ser vista por uma outra técnica, que ela queria ter a certeza do que estava a ver na ecografia. Nesta altura entrei em pânico... Cum raio... Sempre muito gentis e simpáticas, lá me analisaram as duas. No fim a médica disse-me que eu estava bem, que não havia sinais de parto prematuro, que o bebé estava bem... mas...

... que o incidente no início da semana se deveu a algum esforço que eu fiz. Que uma vez que eu tinha placenta baixa devia de ter cuidado. Ora como disse??? Placenta quê??? A médica percebeu que eu estava literalmente aos papéis... Nunca ninguém me tinha dito nada... estava sempre tudo bem, tudo normal!!! A 2.º eco normal!!! Como é que era possível? Teria sido eu que fiz algum tipo de esforço? Seria eu a culpada? 

A resposta foi logo não, nada que eu pudesse ter feito... nada que se pudesse prevenir. O que a médica não percebeu foi como é que não me tinham detectado o problema aquando da 2.º eco... Que para já devia de descansar, ter cuidados com esforços e ter atenção a qualquer alteração. Para além disso iria pedir à parteira para me encaminhar para uma 3.º ecografia a fim de se poder analisar a situação.

Credits Ricardo Rodrigues
Ena... uma 3.º eco! Que sortuda... Na consulta a seguir com a parteira partilhei o meu descontentamento com a situação... Mais uma vez ouvimos que era tudo normal, que ela não estava preocupada e que tudo iria correr bem. Disse-lhe que não me sentia confortável em fazer a ecografia no mesmo sitio, se era possível fazer noutro centro e ela disse-me que sim. Lá me deu o referel para a eco, não sem antes voltar a frisar que achava desnecessário... que estava tudo bem, tudo normalOra fod**** este tipo de positivismo holandês deixa-me doente! Eu nitidamente não estava bem, e as coisas não estavam nitidamente normais.

Por esta altura começava também a sentir algumas tonturas e cansaço. Já o tinha partilhado com a parteira, mas adivinhem a resposta??? Normal... Uma consulta o Bruno disse-lhe que não achava nada normal, que havia dia que me custava levantar e ficava sonsa. Bem, pudemos ver o ferro... lá me disse ela. Então podemos e ela nunca me fez o exame, porquê? Adiante... Lá me mediu os níveis de ferro e adivinhem... anemia in tha house!

Uma vez que tenho familiares com diabetes (ainda que só em 2º ou 3º grau de parentesco, e não família directa como fiz crer a parteira) fui também por esta altura fazer o teste da glicose a fim de fazer o despiste da diabetes gestacional. Ao contrário de Portugal, onde este exame é um exame padrão e faz parte dos rastreio efectuados às grávidas no 2.º trimestre (entre as as 24-28 Semanas), na Holanda não é realizado mais nenhum exame de sangue ou de urina, para além do primeiro.

Chegada ao 3.º trimestre lá fui em fazer a 3.º eco. Foi super rápido. A placenta afinal subiu, mas depois de algumas tentativas nas medições do fémur, a técnica disse-me que talvez fosse melhor fazer outra 4.º eco para confirmar as mesmas, uma vez que os valores que detectava eram demasiado baixos... Oh boy!!! Se a parteira gostou mesmo de me passar uma 3.º eco, iria ficar felicíssima da vida de me passar uma 4.º...

Pois claro que não!!! Mas ela percebeu logo que não tinha muita margem de manobra, e que me tinha que passar o referel, mas não sem antes me dizer a bela da frase:
"Not all diseases can be investigated and discovered before birth and if something is wrong, there's nothing that we can do!"
...enfim... Sobre esta bela frase não há definitivamente nada a dizer....A ideia de pagar cerca de 130€ mensais (sim, esse é o valor mensal do meu seguro de saúde) e ser este tipo de cuidados de saúde a que estou sujeita deixa-me revoltada. E não me venham com merdas... sim... a saúde em Portugal pode não ser o exemplo de perfeição, mas bate a holandesa aos pontos!

To be continued...

2 comentários:

Love Adventure Happiness disse...

Ai bate bate!!! Ao pontos bem altos!!! Tem muita coisa a melhorar mas quem nos dera a nós muitas vezes estar em Portugal para sermos tratados e levados a sério!

Carolina Mendonça disse...

Só quem quem está é que sabe...