Translate...

3 de agosto de 2016

Breastfeeding: The Good, The Bad and The Ugly...


Sim... Esta é a minha maminha...
Sim... esta é a minha Amélia a beber o seu leitinho na minha maminha...

Ora vamos lá falar de leitinho... Com o meu Sebastião a amamentação foi uma das minhas maiores frustrações. Chorei muito, senti-me uma péssima mãe. Afinal se amamentar era tão natural, e tão intrínseco a todos os mamíferos, mas por que raio eu não conseguia esse feito? Já não chegava não ter conseguido ter tido um parto normal, que agora também não conseguia alimentar o meu filho?
Não existe melhor alimento para o recém-nascido de um mamífero que o leite produzido pela sua própria mãe, ou seja, o leite materno. A prolactina é uma hormona produzida pela hipófise que, após o parto, estimula a produção de leite através das glândulas mamárias. No processo da amamentação, é a sucção do mamilo, por parte do bebé, que mantém os níveis de prolactina elevados permitindo a contínua produção de leite. Nos primeiros dias o líquido produzido tem o nome de colostro, é de cor amarelada e é muito rico em anticorpos maternos que vão ajudar o bebé na protecção contra alergias e infecções. O leite materno tem os nutrientes necessários e na quantidade suficiente para que o bebé se desenvolva harmoniosamente (...). 

Na verdade foi um misto. O Sebastião mamou com mamilos de silicone quase até aos 8 meses, mas sempre completado por suplemento. Não... Não fui uma má mãe! Na altura fiz (fizemos, que o pai esteve sempre presente nestas decisões...) o que achamos melhor para o bebé, para mim (e para a minha sanidade mental...) e para a nossa família. Foi o que resultou connosco e não acho que se tenha que por uma mãe "numa parede de fuzilamento" só porque não amamentou.

Não resulto, PONTO! O Sebastião é um menino saudável, cheio de saúde e energia. Temos um vinculo muito forte, por isso não acho (agora) de todo que lhe tenha feito algum mal, ou que em momento algum não tenha pensado no que seria melhor para ele. Desta vez estava determinada! Queria fazer diferente...

Convenhamos... a amamentação não é de todo um processo fácil! Sim, somos mamíferos, mas não, não estamos preparadas para tal, e passar toda uma gravidez a ouvir que vai tudo correr bem, que é fácil, que é natural, que é normal... não ajuda quando as coisas começam a descambar e a correr mal.

Depois do parto complicado da Amélia, o primeiro leite dela foi suplemento. Diz o pai (que lhe deu o primeiro biberão) que foi ele próprio que pediu à enfermeira, uma vez que a criaturinha gritava a seus plenos pulmões de fome, e eu ainda estava adormecida da anestesia. Até hoje (sim... não vale a pena cuspir pro ar e dizer que desta água não beberei...) foi a única vez que a Amélia bebeu suplemento.  

O BOM
Ora o bom disto, para além de todas as vantagem cientificas já ditas e sabidas, é que temos menos uma despesa. Aliás, se formos a ver bem, várias. Não se compra latas de leite, não se gasta água para fazer o leite, não se gasta luz para aquecer água na chaleira, não se gasta água a lavar os biberões, não se perde tempo a esterilizar...e mais um sem fim de coisas...

Outra das vantagens é que não temos que juntar mais uma série de parafernálias quando saímos de casa. As maminhas estão sempre lá à disposição de sua majestade Amélia. Não há termos, nem biberãos, nem preocupação de saber se o leite está quente se está frio...
O leite materno tem ainda a vantagem de ser económico, de estar sempre a uma temperatura agradável para o bebé e de ser de fácil digestão. (...) Para a mãe, o aleitamento materno é também proveitoso, pois amamentar participa para a redução do risco de contrair doenças como o cancro da mama e garante que mais rápida e eficazmente possa adquirir a forma física que tinha antes de engravidar.
Não gastamos praticamente nada neste processo. Já tinha a bomba eléctrica da Medela, os mamilos de silicone da Medela, (em caso de SOS), as conchas da Medela, e os biberoes Calma, também da Medela (e não... isto não é um post patrocinado...). Comprei apenas o Purelan, para os mamilos gretados e as Almofadas de Hidrogel, para aliviar durante a subida do leite.

O MAU
... ui... o mau!!! Agora é que me cai toda a gente em cima!!! Mas como é que é possível que um acto tão natural tenha um MAU?!?!

Tem... Ora a frase "As maminhas estão sempre lá à disposição de sua majestade Améliafunciona tanto para o bom, como para o mau. Para o mau no sentido em que estamos literalmente ligadas, quase como que presas uma à outra, de modo a que eu a possa alimentar sempre que ela assim o exija. Não posso sair de casa sem a Amélia ou tenho de tirar leite com a bomba para que alguém a possa alimentar por mim. Acabo assim, de algum maneira, por sentir "presa"...

O mesmo funciona com a privação de sono... e esta ainda não sei bem se está na categoria de mau, se de vilão... O senhores... que saudades de uma noite bem dormida!!! E dizer que é de 3 em 3 horas é no mínimo, brincadeirinha... Quando não é de hora a hora já é uma sorte, principalmente nos picos de crescimento. Mas ainda que seja de 3 em 3 horas vejamos:
  1. mamar, nunca menos de 15 minutos;
  2. arrotar, esta moça é difícil nisso... mais 10 a 15 minutos;
  3. mudar a fralda, mais 5 minutos, 10 se for a bela da cagada;
  4. adormecer, 10 a 15 minutos (com muita sorte)...
Somando estes deliciosos passos, mesmo que por baixo, nunca dá menos de 45 a 50 minutos, para depois acordar passado as tais 3 horas (do inicio da mamada) para repetires tudo outra vez... Claro que o pai pode dar uma mãozinha (a partir do passo 2. pode ser o pai...) mas a verdade é que acabas por ter sempre que acordar e nunca tens um sono seguido.

No meu caso tive ainda que me habituar a "sacar da mama" e amamentar onde quer que seja preciso. Confesso que ainda não é uma coisa que faça naturalmente, talvez por não ter crescido a ver mães a amamentar livremente... Mas vamos num bom caminho, acho... Ainda no fim de semana fomos à praia (não fazer praia que estava frio...) para o miúdo brincar um bocado na areia e amamentei a minha cria na esplanada dum café enquanto o pai brincava com o mais velho. Mais tarde ele acabou por me perguntar como é que eu me senti, com as pessoas a passar e a olhar... Não sei bem. Foi um acto natural, ela deu sinal de fome e eu alimentei a minha cria. Simples... acho eu... 

O VILÃO
Bem... como é que um acto tão natural pode custar e doer tanto?!?
Oh senhores... Se custa!!!

Bem tudo começa com a chamada "pega" que se não for bem feita ficamos logo com o mamilos em sangue ou gretados. O ideal é pedir a ajuda de um profissional qualificado para corrigir a pega e ajudar nas primeiras semanas. 


Não e fácil, fica já aqui dito... Depois, ainda com os mamilos gretados e doridos, vem a subida do leite onde as nossas mamas passam a enormes e gigantes pedregulhos... Com muitaaaaaaaaaaaaa paciência e espírito de sacrifício, almofadas de hidrogel, banhos quentes, massagens, panos frios, e mais um sem fim de mezinhas, lá passamos mais esta fase.

Seguem-se os caroços, que se não forem devidamente tratados dão direito a mastites, que é como quem diz, infecções na mama (e graças ao senhor, ainda não tivemos nada disso por aqui...)

Dica:
Para os mamilos gretados o que me ajudou mesmo
foi o bepanthenee os discos de hidrogel.

Posto isto, mães que desejam amamentar... não é fácil, mas não desistam à primeira contrariedade, procurem ajuda especializada! E esqueçam lá mitos e ideias da carochinha como: Se os bebés mamarem muito, é porque o leite não é suficiente, ou é fraco; Se não amamentar o primeiro bebé, não conseguirá amamentar o segundo, etc... Por outro lado, se decidirem não amamentar, não se martirizem, eles vão crescer bem na mesma.

1 comentário:

Love Adventure Happiness disse...

Quanto à temperatura do leite, uma amiga minha não conseguiu dar de mamar e dava biberão à temepratura ambiente.
Sacava da água engarrafada luso, metia no biberão, punha a fórmula e já está! A criaturinha dela nunca se queixou e está uma criança super saudável e feliz :D

Ainda há muita pressão nas mães e amamentação, 1) se não amamentares 2) se amamentares em público, preso por ter cão e não ter...
As tuas duas criaturinhas são lindas e saudáveis e isso é que importa :D