Translate...

3 de agosto de 2012

Roma, part III...

Dia 3
Decidimos explorar Roma... Começamos na igreja de San Pietro in Vincoli. A sua construção teve início em 431, e foi dedicada a São Pedro e a São Paulo. Após a a imperatriz Licínia Eudóxia oferecer as correntes que haviam prendido São Pedro na prisão, estas foram aqui depositadas e passou a ser conhecida pelo corrente nome, "São Pedro em Correntes".


Seguimos depois para a Piazza della Repubblica, passando primeiro pela Basílica de Santa Maria Maior. Na Piazza della Repubblica, "crachamos" um casamento e visitamos a Santa Maria degli Angeli e dei Martiri. Para satisfazer a demanda da população que crescia nesta parte de Roma, o imperador Maximiano, mandou construir um complexo de banhos entre 298 e 306. Com quase 400 metros de lado, podia acomodar três mil pessoas. Quando o papa Pio IV ofereceu o local aos monges de Santa Cruz em Jerusalém, Michelangelo converteu o salão central dos banhos nesta igreja de Santa Maria dos Anjos.


Roma é um cidade lindíssima, e vaguear pelas ruas é um "to do" a fazer na cidade... Seguimos depois rumo a uma das praças mais conhecidas, e que eu tanto estudei nas aulas de História de Arte.  A Piazza del Popolo, que em português se traduz para Praça do Povo, é uma das grandes praças de Roma. A praça e a sua porta constituem um óptimo exemplo de "estratificação" arquitectónica, um fenómeno consumado na Cidade Eterna, fruto das várias intervenções por parte dos pontifícios que comportavam modificações e reelaborações dos trabalhos edificadores e viários.


O que não falta em Roma são praças... Seguimos para mais uma aplamanete conhecida pelos desfiles de moda... A Piazza di Spagna é um dos locais mais deslumbrantes na cidade de Roma. Ponto de encontro diurno e noturno de romanos e turistas, tem uma escadaria monumental que levam à igreja de Trinità dei Monti. A construção da escadaria deve-se ao arquiteto Francesco de Sanctis. A fonte no centro da praça é conhecida pelos romanos por La Barcaccia, ou velha banheira. É atribuída a Gian Lorenzo Bernini ou ao seu pai Pietro Bernini e foi feita em 1627 - 1629. Segundo dizem esta foi inspirada pela chegada à praça de um barco durante a inundação do rio Tibre 1598.


Com a fome a apertar, seguimos para o próximo destino... Primeiro passamos na Piazza del Quirinale, outrora chamada Piazza di Monte Cavallo, que se encontra-se em frente ao Palácio do Quirinal (o equivalente ao nosso Palácio de Belém...). Paramos para almoçar (eu abarquei uma bela duma pizza sozinha...) e seguimos para a grandiosa Fontana di Trevi.  É a maior (cerca de 26 metros de altura por 20 metros de largura) e mais ambiciosa construção de fontes barrocas em Itália. A fonte foi restaurada em 1998; as esculturas foram limpas e polidas, e a fonte foi provida de bombas para circulação da água e sua oxigenação.


Tenho para mim que este foi o sítio que tinha mais turista, talvez por ser sábado à tarde... Não sei... Depois de atirar a moedinha, como manda a tradição, lá seguimos caminho... Mais praças para conhecer... A Piazza Colonna é uma praça no centro de Roma, marcada pela imponente a coluna de mármore de Marco Aurélio. Dali à Piazza di Monte Citorio ou Piazza Montecitorio é um pulinho. A praça contém o Obelisco de Montecitorio e o Palazzo Montecitorio


Ora que daqui seguimos para a igreja mais antiga de Roma. O Pantheon, também conhecido como Panteão de Agripa, é o único edifício construído na época greco-romana que, actualmente, se encontra em perfeito estado de conservação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. Para terminar este dia... o dia dos meus 30, nada melhor que uma bela taça de gelado mesmo em frente à Fontana dei Quattro Fiumi, na Piazza Navona, uma das mais célebres praças de Roma. Foi remodelada para um estilo monumental por vontade do Papa Inocêncio X, e é um dos grandes motivos de orgulho da cidade de Roma durante o período barroco. Sofreu intervenções de Gian Lorenzo Bernini (a famosa Fontana dei Quattro Fiumi); de Francesco Borromini e Girolamo Gainaldi (a Igreja de Sant'Agnese in Agone); e de Pietro de Cortona (que pintou a galeria no Palácio Pamphilj, sede da embaixada do Brasil na Itália desde 1920).


Para acabar o dia em grande, fomos jantar com a Silvia. Mais uma coisa boa da vida, poder rever amigos... Conhecemos a Silvia na nossa lua de mel a Marrocos e temos mantido o contacto com ela (claro que o Facebook ajuda...). Quando decidimos ir a Roma, entramos em contacto para "tomar um café"... mas a Silvia não ficou por ai. Ia fazer a sua festa de anos no Domingo, mas como nós já não estávamos mudou para Sábado para podermos ir. Foi uma noite muito especial... Os meus 30 e os 31 dela... Um grande obrigado à Silvia...

Sem comentários: