Translate...

13 de janeiro de 2009

Xutos & Pontapés...

Os Xutos & Pontapés iniciam hoje as celebrações de 30 anos de carreira musical com uma festa privada no Pavilhão de Portugal, onde vão apresentar um novo "single".
A assessora de imprensa do grupo, Isabel Castano, adiantou à agência Lusa que os Xutos & Pontapés actuarão para um grupo de cerca de mil convidados que vão ter oportunidade de conhecer em primeira-mão o novo trabalho da mais emblemática banda Rock portuguesa.
Com a festa privada em Lisboa os Xutos & Pontapés iniciam as celebrações dos trinta anos de uma carreira que arrancou com um concerto nos Alunos de Apolo a 13 de Janeiro de 1979.
Zé Pedro, Tim, Kalú, João Cabeleira e Gui têm estado em estúdio a ultimar um novo álbum, que sairá em Março, cinco anos depois de "O mundo ao contrário", atestando a vitalidade de um grupo que se chegou a chamar Beijinhos e Parabéns, teve vários fôlegos, mas que se segurou no rock em português para todas as idades.
A biografia oficial dá conta de que o primeiro concerto decorreu numa festa nos Alunos de Apolo que serviu de despedida dos Faíscas, de Pedro Ayres Magalhães, e de celebração dos 25 anos do rock.
Todos na beira dos vinte anos, os Xutos e Pontapés Rock'n'Roll Band (Zé Pedro na guitarra, Tim no baixo, Kalú na bateria e Zé Lionel na voz) tocaram quatro temas em seis minutos com a fúria de quem está a começar, influenciados pelo punk e pelo rock e a sonharem ser a melhor banda do mundo.
Trinta anos depois, com a sabedoria de quem experimenta os cinquenta, o grupo trabalhou o novo álbum sem pressões, mas com a excitação de "um puto", disse Zé Pedro à agência Lusa em finais de 2008.
Olhando para trás, o percurso dos Xutos & Pontapés nem sempre foi linear. No começo dos anos 1980 deu-se a passagem fugaz de Francis como segundo guitarrista e a saída de Zé Leonel como vocalista, um lugar que viria a ser ocupado até hoje por Tim. Entraram ainda o guitarrista João Cabeleira e o saxofonista Gui, que completam a formação actual do grupo.
"Sémen" e "Toca e foge" foram os primeiros singles a sair e em 1982 lançaram o álbum "78/82", que reunia os temas feitos durante aquele período.
Fizeram o circuito alternativo em Lisboa, com passagem pelo Rock Rendez-Vous, onde gravaram o álbum "Cerco", mas o grande sucesso bateu-lhes à porta em 1987 com "Circo de Feras", e com "7 Single", que continha "A minha casinha".
No começo dos anos 1990, o grupo passou por uma crise interna, o que levou Tim a integrar os Resistência e Zé Pedro e Kalú a gerirem o Johnny Guitar, em Lisboa. Voltariam com o álbum "Dizer não de vez" em 1992.
Até 2009, ano de novo álbum, os Xutos & Pontapés fizeram dezenas de concertos, lançaram onze discos e na era do DVD registaram dois concertos em Lisboa e uma retrospectiva de carreira.
Na equação de sucesso dos Xutos & Pontapés entra ainda o público. São milhares de fãs portugueses, de diferentes gerações, que acompanham o grupo há largos anos e é para eles que a banda prepara concertos especiais, como a digressão acústica "Nesta cidade", por todo o país, ou a recente passagem pelo Pavilhão Atlântico.
O empenho foi recompensado em 2004 pelo então presidente da República Jorge Sampaio, que os agraciou comendadores da Ordem do infante D. Henrique.
Do que já está marcado para este ano para celebrar os trinta anos da banda, sabe-se que vão actuar a 06 de Fevereiro, em formato acústico, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, e em Setembro no Estádio do Restelo, em Lisboa.
Lusa

Sem comentários: