Translate...

29 de abril de 2014

Brugge...

Ora que já querias ter ido a Brugge à mais tempo, mas acabamos sempre por adiar... Entretanto veio o pequenito e lá nos decidimos, que quase no alto dos seus 6 meses, estava na altura de fazermos uma escapadinha a três ;)

Confesso que ia um bocadinho apreensiva (sou stressadinha com as horas dos leites e a troca das fraldas...) mas a verdade é que correu tudo às mil maravilhas, ficamos no Novotel, que fica pertíssimo do centro o que facilitou imenso toda a logística da coisa. O mais piqueno adorou, olhava a toda a volta a tentar aperceber-se de tudo, portou-se que nem gente grande e a única birrazita que fez foi na volta de barco pelos canais (tenho para mim que não gostou da voz do guia e do barquito a abanar de mais...). De resto correu tudo 5 estrelas, galgamos a cidade toda a pé (ao ponto de eu ficar com bolhas nos pés...) e ainda conseguimos ir ao Museu do Chocolate e ao Museu de Arqueologia.



Compramos um Ergobaby (uma daquelas mochilas de transporte de bebés que se dá desde o nascimento até aos 20 kg) e foi  a compra, para além de ser montes de prático ele gostou de lá andar a passear e quando chegava a hora, aterrava e dormia umas belas sonecas. Brugge é uma cidade lindíssima, faz-se bem toda a pé, mas o fato de ser praticamente toda em paralelo, os carrinhos de bebé fartam-se de tremer e não me parece que seja o mais prático para os passeios mais. Assim, com o piqueno no mochila, lá fomos nós à descoberta da cidade...


Brugge (em português Bruges) é uma cidade belga, capital da província de Flandres Ocidental, na região de Flandres. A área total da cidade é de mais de 13,840 hectares, incluindo a sua parte costeira, Zeebrugge. O centro da cidade é Património Mundial da UNESCO desde 2000. Para além da arquitectura típica em Brugge, existem montes edifícios e locais de relevância histórica, como o Belfort van Brugge (Campanário de Bruges) que aconselho a subir os 366 degraus (deve dar para ver uma vista lindíssima da cidade... fica para a próxima quando o Sebastião já se atrever a subir sozinho...), a Onze Lieve Vrouwekerk (Igreja de Nossa Senhora) que possui uma escultura da Virgem Maria de Michelangelo que dizem ser a única escultura do artista a deixar a Itália enquanto o artista era vivo. pontaria do caraças, acabamos por ver só a igreja (que estava em obras de restauro) e não conseguimos ver a parte da escultura que já estava fechada ao público.


Vimos ainda o jardim Vlaamse Begijnhof, que como em Amesterdão mas bastante maior, é um conjunto de casas em torno de um pequeno jardim coberto com grandes árvores de álamo, onde durante os últimos sete séculos viveram as beguinas de Brugge. Em 1937 tornou-se num mosteiro das irmãs beneditinas que ainda vivem aqui agora. Ali logo ao lado, vale a pela dar um passeio pelo Minnewater, ou Lago do Amor, um passeio calmo e tranquilo...


Falta ainda falar da comida, pois claro!. Não saímos de lá a rebolar mas quase... Ora aconselha-se o chocolate (que há para todos os gostos e feitios...), diz que é terra de boa cerveja (o homem consolou-se... e ainda trouxe stock para continuar a sua degustação em casa...), as afamadas moules (mexilhões), o coelho com cerveja (bem bom...)... basicamente comam... não tem muito que enganar!

Para primeiro retiro a três correu 5 estrelas, a cidade é lindíssima e havemos de lá voltar...
Adoramos Brugge!

2 comentários:

Flor Guerreira disse...

Eu adorava ir. Giras, as fotos.

Carolina Mendonça disse...

Obrigada...
Recomendo Brugges, a cidade é linda!