Translate...

14 de novembro de 2013

Sebastião, the desired one...

14 Outubro 2013 será sempre para nós o dia do nosso Sebastião, o Desejado, tal como o rei de Portugal...
Ora que a noite de Domingo começou com contracções, eram irregulares, espaçadas pelo que não me preocupei apesar do desconforto já ser bastante... O meu Bruno foi para a cama mas eu sem sono e a contorcer-me com as dores fiquei pelo sofá à espera de novidades... Aí às 3h da manhã já de segunda comecei com contracções relativamente regulares, como já não aguentava as dores, e a conselho da médica, lá fui acordar o homem, agarramos na mala e fomos para o hospital...

Fui atendida pela médica de serviço que me disse que ia ficar, apesar das contracções não serem regulares, já estava com 3 centímetros de dilatação. Eu fiquei feliz da vida, ora se com 3 centímetros estava relativamente bem, a coisa não ia custar e num instante ia ter cá fora a minha pequena lontra! Lá me encaminharam ao quarto/ sala de partos, mas quando a enfermeira me veio ver, disse-me logo: Olhe, a médica ainda devia estar a dormir... olhe que ainda faltam para os 3, o marido se quiser pode ir para casa! Raios que já e trocaram as voltas... isto afinal ainda é capaz de demorar.

O meu Bruno, aguentou-se ali de pedra e cal, e afinal a enfermeira tinha razão... tanto tinha que eu  acabei por adormecer... Após a mudança de turno, e passadas cerca de 4/5h tinha 3... Uma vez que no dia a seguir já fazia 41 semanas, o como a minha lontrinha adivinhava-se grande, a médica optou por me rebentar as águas e induzir o parto. Pensei eu... Isto agora é que vai andar... O concelho do enfermeiro, o Bruno foi tomar um banho e comer qualquer coisa...

Claro que foi quando ele saiu que a coisa começou a doer... Fonix... DROGAS, DÊEM-ME DROGAS... O enfermeiro (sim, no masculino... o que teve a sua piada quando ele entrou na sala de manhã...) aconselhou-me a esperar mais porque a epidural atrasaria o parto. Oh que raio... mas se isto agora já me está a custar horrores, se eu espero, trepo as paredes... Lá aguentei mais um bocado (o que me pareceu uma eternidade, mas não teve ter sido mais que meia hora...) até voltar a implorar pelas drogas...

Até vir a anestesista deve ter sido mais uma meia hora, pelo que quando ela veio eu já estava mesmo a trepar pelas paredes. Claro que as aulas de preparação ajudaram e eu pensei montes de vezes cá par mim que não podia desiludir a enfermeira Rita e que tinha que fazer a respiração direitinho... Isto resultou nas primeiras contracções mais fortes... depois bem que começava com a respiração mas para o fim das contracções, já não estava a respirar, estava a arfar... Para ajudar à festa, comecei a fazer febre e tremia que nem varas verdes...

Lá veio a anestesista com uma equipa para me dar as belas das drogas... E eu conseguir estar quieta e por-me em posição para apanhar a epidural??? Esse foi outro filme... Como tinha a barriga muito grande não conseguia arcar as costas, as contracções também não ajudavam a eu estar quieta e para ajudar à festa, a febre não baixava e eu não conseguia parar de tremer... Portanto estão a ver o filme, o verdadeiro filme de terror... Na verdade não foi um filme de terror porque a equipa foi extraordinária... A paciência daquela anestesista e da enfermeira foi inesgotável, para todas as minhas queixas e todos os meus ais!!! Após uns bons 45m /1h lá me conseguiram dar a epidural, estando eu deitada...
Heaven... I'm in heaven...
As mulheres que não tomam epidural são umas valentes e são as minhas heroínas... Por esta altura o meu Bruno já tinha chegado, só estava à espera que acabasse o procedimento da epidural, para poder entrar. Ele ficou meio chateado de não estar ali quando eu fiquei mais queixosa e com dores, eu por um lado até que não me importei, assim ele não me viu a dar parte fraca ツ

Por volta do meio dia, uma da tarde, cheguei aos 5cm... O Bruno foi almoçar, e veio, e nada... Eu estava sem dores (abençoada epidural...) mas não havia maneira de me passar a febre... O tempo passou, passou e nada... O turno de enfermeiros trocou (portanto já ia no terceiro turno...), a febre não havia maneira de passar, o coraçãozinho da minha lontra começou a fraquejar... resultado... fui à faca, que é como quem diz, fiz uma cesariana!

Confesso que foi uma espécie de choque quando a enfermeira me disse, mas a verdade é que eu sabia que podia ser uma possibilidade... eu é que não estava mesmo mentalizada para tal! Lá fui eu para a sala, o meu Bruno, assim para o triste ficou para traz, e às 21:56 (portanto quase 18 horas de eu ter dado entrada no hospital... 18 HORAS...) a minha pequena GRANDE lontra nasceu... Assim em modo de lágrimas ainda perguntei, se ele estava bem e se tinha os dedos todos... pergunta estúpida eu sei, mas 18 horas depois foi o que saiu... Sim ele estava bem, e de tão grande que era ainda saiu a ferros (o anestesista ainda me disse: Olhe lá que ele é tão grande... ainda bem que foi cesariana, imagine se fosse parto natural??? Olhe que não ia ser fácil...) e a médica teve que fazer um corte "maior" que o normal... Até apostas de sobre o peso se fizeram naquela sala... Foi um riso e uma animação... Não podia estar mais contente e feliz, a equipa foi extraordinária e super bem disposta o que ajudou o meu muito nervosismo e ansiedade...

Bem vindo Sebastião ❣❣❣

2 comentários:

martinha martins disse...

Bebe mais lindo :) e grande ! Preparado para o inverno!

Carolina Mendonça disse...

Sim...
É o bebé mais lindo do mundo e arredores ;)